terça-feira, 30 de maio de 2017

Golpe de Estado gravará CD ao vivo de comemoração de 30 anos em junho com participação de Catalau

 Golpe de Estado em SP - Cartaz de Divulgação

A veterana banda brasileira Golpe de Estado está em turnê comemorativa de 30 anos de carreira e, para comemorar este longo período de existência, vai gravar um CD ao vivo. Será no dia 10 de junho no Clash Club, localizado no bairro paulistano da Barra Funda.

O show terá, além da formação atual do Golpe, participação de gente que já passou pela banda, como o lendário vocalista Catalau e o comandante recente dos vocais Rogério Fernandes, que saiu há pouco tempo do grupo para se dedicar à sua banda Carro Bomba.

Será uma boa oportunidade também para o público conhecer o novo vocalista da banda, João Luiz, vindo do grupo Casa das Máquinas.

Os ingressos já estão à venda. O local oficial de compra pela internet é o site do Clube do Ingresso, onde também é possível localizar informações, por exemplo, de outros pontos físicos de venda.

O preço para a entrada inteira de Pista sai por R$ 80,00. São valores para o primeiro lote.

Para o Camarote, o valor do ingresso inteiro é de R$ 120,00. Vale destacar que, para ambos os locais, há uma opção de entrada promocional, pela metade do valor inteiro, que consiste na doação de 1 quilo de alimento não perecível (menos sal e açúcar) no dia do show.

Desde janeiro de 2016, menos de um ano depois de ter anunciado o fim que deixou triste um grande número de fãs, o Golpe de Estado voltou com uma nova formação e com a intenção da turnê comemorativa de 30 anos.

Da formação clássica, sobrou apenas o baixista Nelson Brito, justamente quem divulgou, no dia 11 de junho de 2015, uma carta anunciando o fim das atividades do Golpe. Agora, além de Brito, o grupo conta com o baterista Roby Pontes, que fez parte da formação mais recente, com o vocalista João Luiz e o guitarrista Marcello Schevano, que é também do Carro Bomba.

Em 2014, o grupo e o rock nacional tiveram um grande baque, já que perderam o talentoso guitarrista Hélcio Aguirra, que morreu aos 54 anos de idade. Ao lado de Aguirra, Nelson formou, com o vocalista Catalau e o baterista Paulo Zinner a formação clássica do Golpe que tanto satisfez os fãs de boa música nas décadas de 80 e 90.

Nelson Brito resistiu às inúmeras mudanças que aconteceram no Golpe de Estado durante os 30 anos de carreira. A primeira delas e uma das mais marcantes foi justamente a saída de Catalau, que era um dos símbolos da banda, mas saiu em 1995 para se afastar da vida louca que tinha no rock e se dedicar à religião. Depois disso, já em 2010, foi a vez do competente vocalista Kiko Muller e de Paulo Zinner deixarem o grupo. Por fim, a morte de Aguirra foi um duro golpe para Brito e não foi surpresa para muitos a carta com o anúncio do fim da banda em 2015.

O Golpe de Estado completou três décadas de carreira em 2015 e lançou oito discos. O mais recente foi “Direto do Fronte”, de 2012, que trouxe o Golpe de Estado numa nova formação, com o vocalista Dino Linardi e o baterista Roby Pontes, além de Nelson Brito e Hélcio Aguirra.

Em outubro de 2016, no mesmo Clash Club, o Golpe fez um show comemorativo de 30 anos de estrada que já teve a participação histórica de Catalau. Quem esteve presente no show do ano passado fez questão de dizer que o show, especialmente pela presença do vocalista, foi emocionante.




Fonte: Rock Reverso
 
 A LOJA DO ROCK DE TERESINA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog