segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Krisiun: show do lendário trio no SESC Belenzinho em São Paulo


 
Na última sexta 08/01, dentro do Projeto Música Extrema que abrange gêneros e estilos como noise, minimalismo, concretismo, heavy metal, hardcore e grindcore, o SESC Belenzinho recebeu a lenda do death metal nacional, o trio Krisiun formado por Alex no baixo e vocal, Max nas baquetas e Moyses na guitarra.

Oriundos da cidade de Ijuí no Rio Grande do Sul, desde 1992 estão na ativa levando seu death metal cheio de peso, riffs instigantes, bateria ultra pesada e um vocal inconfundível com álbuns que já se tornaram clássicos mundiais como Black Force Domain, Apocalyptic Revelation, Conquerors Of Armageddon, Southern Storm, The Great Execution e o novo e já aclamado Forged in Fury, álbum mais técnico da banda.

A produção do álbum foi executada por Erik Rutan, lenda do Morbid Angel e agora levando seu Hate Eternal às alturas, com belíssima capa desenhada pelo artista Joe Petagno que já emprestou seus trabalhos para bandas como Motörhead, Vader, Marduk , Pink Floyd e várias outras. No show, como anunciado, foi feita uma homenagem à lenda Lemmy e participação de João Gordo do Ratos de Porão, que sempre é bom demais ver ao vivo.

Aos exatos 21:35, Alex disse “o Krisiun está aqui” e já mandaram a primeira da noite com o clássico Kings Of Killing, despejando riffs empolgantes, altos solos com Alex bem empolgado e a galera animada não parava de gritar “Krisiun”. Em seguida, Alex só disse The Will To Potency, som perfeito que animou ainda mais os presentes.

Alex, sempre simpático, agradeceu ao SESC e a galera pela presença e força em todos esses anos e lembraram que vieram celebrar o álbum novo Forged in Fury e com muita ênfase chamaram Combustion Inferno que inflamou os presentes logo no primeiro acorde, som que é um arregaço, com solos e riffs encorpados e uma sincronia ímpar com o baixo e bateria e refrão imponente, um arrasa quarteirão.

Som novo na área com a primeira faixa do álbum novo com Scars Of The Hatred, que me arrisco a dizer que é o álbum mais técnico da banda, uma sonzeira com uma melodia viciante e Alex ainda mandou abrir a roda.

Alex não parou um segundo e pediu para os presentes fazerem barulho, mandando novamente abrir a roda e tocaram das antigas com Vengeance’s Revelation, do clássico Apocalyptic Revelation, de 1998, que vai completar 18 anos de vida.

Com certeza, o Krisiun é uma das bandas mais carismáticas do cenário e a galera não parava de gritar o nome da banda, que, sem respirar, mandou Descending Abomination. Uma das melhores características da banda são os refrões que deixaram a galera ainda mais inflamada e sem voz literalmente.

Mais do álbum novo com Dogma Of Submission, aquele som com riffs diretos e altas quebradas insanas que ficam na mente, com toda a carisma do Alex  que é um dos melhores vocalistas do estilo ao vivo.

Alex disse ser um grande orgulho fazer parte do metal nacional, sendo ovacionados por todos e tocaram mais uma nova com Ways of Barbarism, com um início monumental de bateria, uma das canções mais diretas, pesadas e intensas, candidata a clássico.

Por ser um show especial, não poderia faltar o carismático João Gordo do Ratos de Porão, e antes dele entrar, Alex pediu para a galera gritar “Ratos” e chamou João para subir ao palco. Executaram a sonzeira Extinção Em Massa com João Gordo mandando muito bem nesse som que é cacetada das boas, som do álbum The Great Execution, de 2011.

Um trio que manteve bem alto o nível da apresentação, com a galera empolgada e centrada o tempo todo.

Max parece mais um polvo brincando com seu pequeno kit de bateria. A cada novo álbum, Moyses evolui, cria riffs e solos mais que perfeitos e Alex, nem se fala, perfeito ao vivo com seu baixo imponente e um vocal que instigou ainda mais os presentes.

Na seqüência, mais canções de "ninar" com os clássicos Hatred Inherit e Blood Of Lions que tem refrões perfeitos, bem na cara mesmo.

Com muita emoção, Alex fez um discurso sobre a lenda Lemmy, ídolo de várias gerações e mandaram Ace of Spades e No Class, com a galera nas alturas gritando “Lemmy” com muita ênfase.

Na cola depois desse momento de emoção, Alex só disse “Kill, kill, kill, lord Jesus Christ” e incendiaram os presentes com Conquerors of Armageddon.

Ao fim e já quase 23:00, Alex agradeceu a todos e tocaram o hino Black Force Domain, uma baita roda se abriu para celebrar o momento único, sem voz no fim pois esse refrão é fantástico.

Ficou mais que comprovado literalmente que esse é o melhor e maior trio do metal nacional e um pouco mais que 23:00, finalizaram a apresentação onde a galera foi de alma lavada e não tinha como começar o ano melhor, isso é fato.

SET LIST

1-Kings Of Killing
2-The Will To Potency
3-Combustion Inferno
4-Scars Of The Hatred
5- Vengeance’s Revelation
6-Descending Abomination
7-Dogma Of Submission
8-Ways Of Barbarism
9-Extinção Em Massa (Participação de João Gordo)
10- Blood Of Lions
11-Hatred Inherit
12-Ace of Spades (Motörhead Cover)
13-No Class (Motörhead Cover)
14-Conquerors Of Armageddon
15-Black Force Domain



Veja aqui Krisiun - Live at Fortaleza Open Air 2016 - Ace of Spades [Motorhead Cover]




Fonte: Rock Brigade

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog