quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Tarja Turunen: show da diva finlandesa no Tom Brasil em SP

 

Às 20:50 entra no palco a banda de abertura Mad Old Lady, chegando do Motörhead Cruise (único grupo brasileiro a participar neste ano). Um set de 40 minutos, direcionado na divulgação do CD Power of Warrior. Destaque para o baixista Fernando Giovannetti e para o tecladista Rafael Agostino.

Bela sacada ao entrar o “mascote” no palco; uma pessoa vestida de lobo (como o da capa do CD) com uma espada nas mãos. Lembra o esquema do Eddie com o Iron Maiden, mas mesmo assim funcionou e foi bem legal!

Mas, foi de uma infelicidade ímpar tocar Enter Sandman do Metallica. Chato e mal tocada. O guitarrista Tiago de Moura estava tocando acordes errados, sem contar o solo fraco. Ou se faz direito ou não se faz! E foi desnecessário, pois as músicas da banda despertam interesse por si mesmas.

O vocalista realmente precisa parar de tocar a “guitarra invisível”. Qualquer frontman que queira algum respeito deve tomar este cuidado.

Às 22:10 sobe ao palco a finlandesa mais querida no Brasil da cena metálica atual, Tarja Turunen. A diva do metal melódico lírico. Já conhecida nas terras tupiniquins desde a época do Nightwish, Tarja continua mostrando evolução a cada ano e a cada álbum.

Tive a oportunidade de entrevistar Tarja duas vezes e sempre se mostrou uma pessoa muito profissional, focada e antenada.

Abre em dueto com Phantom of the Opera numa versão mais pesada. Muito legal! Segue numa sequência de músicas passando por seus álbuns solos. Apresenta a inédita No Bitter End, do álbum que tem como previsão de lançamento em 2016.

A ser mencionado... uma tremenda sacada, mas mal executada, foi a ideia de cantar o título tema do filme do “007 - James Bond: Goldfinger”. Realmente tinha de ser uma versão muito mais produzida, mais pesada, mais forte, mais impactante, melhor tocada e cantada. Milhares de vezes inferior à original de 1964 (isso mesmo, em 1964 esta música já era potente ao extremo), com a interpretação mais que pesada e forte da maravilhosa Shirley Bassey. A ideia é genial, mas deve ser revisada urgentemente.

Tocou apenas uma música da época de sua ex-banda Nightwish, o que demonstra que a carreira solo tornou-a independente do passado.

Tarja é linda, talentosa, carismática. Trocou de roupa três vezes ao longo do show (este com aproximadamente 100 minutos).

O Tom Brasil estava com público mediano. Mas na pista VIP, proporcionalmente tinha muito mais gente que na pista normal (onde está a crise no Brasil?!).

Concluindo: foi um belo programa para um sábado à noite. Confira o setlist da apresentação:

Setlist:
1. The Phantom of the Opera
2. 500 Letters
3. Ciarán's Well
4. Falling Awake
5. I Walk Alone
6. Anteroom of Death
7. Never Enough
8. Dark Star
9. Neverlight
10. Until Silence
11. No Bitter End
12. Goldfinger
13. Deliverance

Bis:
14. Victim of Ritual
15. Slaying the Dreamer (Nightwish)
16. Die Alive
17. Until My Last Breath
18. Over the Hills and Far Away (Gary Moore)

 IMG_6414.jpg 
IMG_6421.jpg 

Fonte: Rock Brigade

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog