segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Bullet For My Valentine: Venom


Fazendo música interessante para quem se importa em prestar atenção.
 

A banda Bullet for My Valentine, ou como todos os seus fãs carinhosamente a chamam B4MV, lançou seu mais recente trabalho de estúdio, o disco “Venom”. O sucessor de “Temper Temper”, de 2013, é recheado de melodias rápidas e de partes marcantes no meio de suas canções.

Partes estas que fazem com que o grupo permaneça como um dos grandes nomes do Metalcore atualmente (um estilo que ganhou muita força e ascensão a partir dos anos 2000), apesar da banda ser relativamente nova, já que completou em 2015, dez anos de seu trabalho de estreia, o disco “Poison” de 2005.

Quem pensou que Matthew Tuck e sua trupe trariam uma inovação ou algo muito original, se enganou. Quem espera ouvir B4MV o ouvirá sem sombra de dúvidas, pois todas as canções trazem algo que caracteriza a banda e seu estilo e a maioria das composições foi de rearranjos ou de partes esquecidas ou não utilizadas em “Temper Temper”, fazendo o disco ter quase a mesma pegada.

O ponto positivo da obra é justamente a criatividade da banda, que utiliza de outros efeitos para construir uma narrativa baseada nos elementos que não são em si desenhados pelos seus instrumentos, mas que se aliam a estes para desenvolver uma linguagem que torna o disco totalmente diferente do anterior, mesmo com algumas ideias reaproveitadas.

O trabalho se inicia com “V”, que coloca o ouvinte em uma expectativa e uma ansiedade que somente a microfonia e os gritos caóticos e dissonantes de uma guitarra poderiam criar, fazendo da primeira faixa, na verdade, o inicio da segunda canção intitulada “No Way Out”.

“Army of Noise” e “Pariah” possuem um tom mais Thrash Metal em suas linhas de guitarra, enquanto “Worthless” já cai em um tom mais confortável para os que gostam dos vocais guturais de Matthew. O destaque maior do álbum vai para “You Want a Battle? (Here’s a War)” que utiliza uma narrativa baseada em um início em coro, forte e épico para culminar mais adiante em um refrão Pop, porém muito bem pensado, além de um acompanhamento em solo para o coro.


“Venom” é uma das faixas mais calmas, e utiliza um tremolo leve em sua melodia para dar uma falsa velocidade à música. “Skin” possui um solo memorável em seu início enquanto “Raising Hell” finaliza o disco de uma maneira dissonante e bem sinistra com guturais como voz de apoio.

O Bullet for My Valentine com certeza não é uma banda que sai flertando com todos os estilos musicais possíveis e isso é uma característica que os rapazes jamais devem perder. Mantendo-se fiéis a sua proposta e com a criatividade sempre na ativa, a banda aposta em outros artifícios para fazer uma música interessante para quem se importa em perceber os detalhes e prestar atenção. 

  

MUSICAS:

01. V
02. No Way Out
03. Army of Noise
04. Worthless
05. You Want a Battle (Here’s a War)
06. Broken
07. Venom
08. The Harder the Heart (The Harder it Breaks)
09. Skin
10. Hell or High Water
11. Pariah
12. Playing God
13. Run For Your Life
14. In Loving Memory - Demo Version
15. Raising Hell 


Fonte: Território da Musica

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog