segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

David Bowie rejeitou convite de Chris Martin para cantar em faixa do Coldplay

Chris Martin

“Ele me ligou e disse: ‘Não é uma de suas melhores’”, admite o frontman do grupo britânico 
 
Durante o longo hiato de David Bowie, anterior ao lançamento de The Next Day (2013), o cantor participou esporadicamente, com backing vocals, em discos de artistas como Arcade Fire (Reflektor), TV on the Radio e Scarlett Johansson. Contudo, quando Chris Martin tentou recrutar Bowie para cantar em uma faixa do Coldplay, o camaleão disse não ao convite porque a canção não era boa o suficiente.

Martin fez a revelação no BBC Music Awards, que aconteceu em 11 de dezembro, durante um vídeo em tributo a Bowie, indicado ao prêmio de Artista Britânico do Ano. “Uma vez, enviei a ele uma canção, e perguntei se ele toparia cantar nela. Ele me ligou e disse: ‘Não é uma das suas melhores’”, admitiu o vocalista do Coldplay.

“Ele tem padrões extremamente altos, e eu aprecio esta característica”, seguiu Martin. “Isso nos inspira a manter os nossos padrões altos”. O cantor não especificou qual música do Coldplay foi rejeitada por David Bowie.

Apesar de ter sido “rejeitado” por Bowie, Martin demonstrou admiração por The Next Day. “Quando ‘Where Are We Now?’ saiu, eu fiquei impressionado, e também contrariado”, disse o frontman durante a premiação. “Tipo: ‘Como assim, não é justo. Ele já tem todas aquelas canções incríveis e ainda faz um clássico instantâneo como este.”

 

Se o Coldplay ainda deseja que Bowie os acompanhe em estúdio, eles precisam compor algo que tenha “alto padrão”, e rápido, já que o próximo álbum, A Head Full of Dreams, pode ser o último do grupo. “É o nosso sétimo trabalho, e olhamos para ele como se fosse o último livro do Harry Potter ou algo do tipo”, disse Martin, em entrevista recente.

“Não vou dizer que não haverá mais nada um dia, mas isto é o desfecho de algo”, acrescentou o vocalista da banda britânica. “Tenho que pensar nisso como a última coisa que estamos fazendo. De outra forma nós não daríamos tudo nós”.

Não ficou claro, entretanto, se Martin insinuou que está tratando o novo disco do Coldpay como a “última coisa” meramente para ter certeza de que a banda "invista tudo” ou se A Head Full of Dreams é realmente o último álbum do Coldplay antes de uma separação ou hiato por tempo indefinido. 
 
Fonte: Rolling Stone Brasil
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog