quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Cadaveria: Silence

Sombrio, pesado e essencial para fãs e neófitos.
 Muita gente quando pensa em bandas de gothic ou black metal oriundas da Europa provavelmente não lembra dos italianos. Mas é do país da bota que vêm grandes nomes destes estilos, como o Graveworm, Theatres des Vampires, Mandragora Scream e o Opera IX, banda que deu origem ao Cadaveria. Lacuna Coil não. Faz tempo que o grupo deixou o gothic metal para tocar um metal alternativo ao gosto norte-americano. Enfim...

Voltando ao que interessa, “Silence” é o quinto álbum de estúdio da banda liderada pela cantora Raffaella Rivarolo, que atende pelo nome de Cadaveria. Junto com os parceiros Frank Booth (guitarra), Dick Laurent (guitarra), Killer Bob (baixo) e Marçelo Santos (bateria), a vocalista nos apresenta um ótimo disco que traz elementos do metal tradicional, do doom, gothic e black metal.

“Velo (The Other Side of Hate)” abre o disco pesando mais para o black metal europeu, mas sem aquelas misturas que, por exemplo, o pessoal de Gotemburgo adora. Sem introduções nem tempo para o ouvinte se preparar, a música já começa com o vocal rasgado e um riff empolgante e segue assim até um pequeno interlúdio calmo que logo dá lugar novamente à pancadaria.

Ainda pegando pesado, temos “Carnival of Doom”. Nesta faixa Cadaveria alterna seus vocais rasgados e agressivos com vozes limpas e mais melodiosas. Confesso que essas vozes limpas são as que mais me agradam, principalmente nesta música, com os efeitos de eco que ajudam a dar um clima especial. Musicalmente, segue a linha de porradaria do início ao fim, sem muitas variações.

Em “Free Spirit” os elementos mais sombrios do gothic se fazem presentes, principalmente pela sonoridade de fundo, até bastante discreta, criada pelo teclado. Esta faixa alterna momentos rápidos com outros mais lentos e se tornou o primeiro ponto alto da minha audição.

Em algumas faixas, como na parte inicial de “Existence”, podemos ouvir uma semelhança com bandas como Cradle of Filth e Dimmu Borgir, principalmente no trabalho das guitarras. Mas depois, na mesma faixa, em um curto momento, há um riff quadradrão no melhor estilo Black Sabbath. Pena que dura pouco. Ao final ainda tem um belo trecho ao piano.
 
 Se o doom era apenas referência até então, ele se faz presente de forma grandiosa na ótima “Death, Again”. Um riff arrastado no melhor estilo funeral doom abre a faixa que recebe logo em seguida Cadaveria alternando vozes limpas e rasgadas. Porém o riffão marcante não volta a aparecer, mesmo assim é uma boa faixa.

Ainda vale mencionar como boas as faixas “The Soul That Doesn’t Sleep” e “Strangled Idols”. E como menos interessantes “Out Loud” e “Exercise1”.

É perceptivo durante todas as músicas que não há muito espaço para exibicionismos individuais. As faixas são concisas, mas não significa que sejam simplistas. Mesmo as músicas mais longas dão essa impressão de união, como se não fossem vários músicos juntos, mas uma coisa já criada e executada por uma única entidade.

O Cadaveria ainda pode ser considerado um grupo pequeno, pouco conhecido do público em geral, mas não é por falta de qualidade em seu trabalho. Portanto, se você não conhece a banda, certamente “Silence” é um bom começo. 

PLAYLIST:
01. Velo (The Other Side of Hate)
02. Carnival of Doom
03. Free Spirit
04. The Soul That Doesn’t Sleep
05. Existence
06. Out Loud
07. Death, Again
08. Exercise1
09. Almost Ghostly
10. Loneliness
11. Strangled Idols 


Fonte: Território da Musica

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog