segunda-feira, 31 de março de 2014

CONTINUAM AS PROMOÇÕES E NOVIDADES NA ANTRO

Próximo dia (5), sábado tem muito skate na Potycabana e você  se prepara desde de já pra fazer bonito e tirar a maior onda com a galera e bem vestido é claro!

RUA BARROSO, 505 - C/N
TERESINA - PIAUÍ
FONE (86) 3222 8073

Bandas Novas: 10 coisas que vocês jamais devem dizer no palco

 Imagem
"Estamos tendo problemas técnicos"
Mesmo se a sua guitarra tenha acabado de pegar fogo.
Bem, na verdade, seria hilário se você dissesse isso numa hora dessas. Mas quando as bandas embaraçosamente admitem isso ao microfone, é bastante desconfortável a broxa geral. Problemas técnicos são sua culpa. Mesmo quando não o são. É seu palco. E é seu show.
Você deveria conhecer seu equipamento de olhos fechados. Se algo está falhando ou apitando ou dando microfonia, você deveria saber identificar de pronto o que é e poder saná-lo em 13 segundos ou saber como deduzir rapidamente do que se trata.
É sua tarefa, como performer, comandar a atenção de todos na casa do começo ao fim.
"Eu esqueci a letra"
Nada é pior do que quando o cantor/compositor manda um verso do naipe “Eu esqueci a letra la la la”. Isso é irritante demais. Não tem nada de engraçado. Se você não consegue decorar as suas letras, então leve a transcrição dela para o palco como referência. Ou invente alguma porra na hora.
A única coisa pior do que letras ruins são letras esquecidas.
"Eu quero agradecer a minha namorada"
É como travar uma conversa a dois com alguém da plateia com o microfone desligado. Desconfortável para todos os outros presentes ao recinto.
Deixe-a fora disso. Isso faz com que você pareça um cachorro submisso. Se ela fez algo verdadeiramente incrível, então você pode dizer algo como ‘gostaríamos de agradecer nossa amiga Sarah por fazer com que essa música chegasse às mãos da gravadora tal. ’
Se sua namorada precisa ser agradecida em público pelo apoio dela, então você tem problemas maiores para resolver.
"Peço desculpas"
Jamais peça desculpas no palco. Isso faz com que você pareça fraco. Eu não quero saber se você acaba de parir uma criança. Não peça desculpas.
Pedir desculpas por sua mediocridade deixa todo mundo na casa desconfortável e se sentindo mal por você. Eu ouço isso o tempo todo: “Eu esqueci o resto da música. Me desculpem.” “Eu peço desculpas se essa música é uma merda, nós acabamos de escrevê-la.” “Eu sinto muito se não há mais gente aqui”. “Não ensaiamos essa aqui muito, pode ser que fique ruim.”
Seja dono do palco. Seja dono do lugar. Seja dono do seu set. Ou então nem apareça.
"Essa cidade de vocês é uma merda"
Isso nem deveria ter que ser lembrado, mas eu não conseguiria dizer a você quantas bandas em turnê eu já vi descendo a lenha na cidade na qual elas estão – EM CIMA DO PALCO. Pode ser divertido zoar dentro da van, mas a sua plateia se orgulha da cidade dela. Não interessa se você acha que a cidade deles é legal ou não.
Nunca diga nada de negativo sobre a cidade na qual você está enquanto está no palco a menos que você queira uma garrafa arremessada em sua direção.
"Essa música é sobre a minha avó que morreu de câncer. Eu te amo, Nona".
Não deprima o seu público. Você pode tocar uma música sobre sua avó morta, mas você não precisa dizer pra plateia que se trata disso.
As pessoas não desembolsam dinheiro para irem a shows e ficarem tristes. Elas vão para se alegrar. Para se divertir. Para serem iluminadas. Para serem inspiradas.
Se você não consegue comunicar a força da sua música simplesmente tocando-a, então talvez a música não seja tão boa assim.
"Estou quebrado de dinheiro"
Não deixe a plateia com pena de você. Tira a mística e o fator ‘cool’. Você pode dizer ‘Ajudem-nos a chegar até a próxima cidade e comprem uma camiseta’. Isso dá um apelo emocional de modo positivo.
Mas quando você diz ‘estamos falidos, então comprem uma camiseta’, isso só broxa seu público.
Enfiar culpa nos fãs para que eles comprem seu merchandise jamais funciona.
"Vocês são péssimos"
Mesmo se 95 das 100 pessoas presentes estiverem gritando mais alto do que o seu set acústico enquanto quebram garrafas de vidro e vomitam pelos cantos, há 5 pessoas lhe prestigiando. Nunca insulte sua plateia. Ela sempre tem um ouvido apontado para você – mesmo que você esteja fazendo apenas o papel de música de fundo.
Você pode achar que não há ninguém escutando, mas você ficará surpreso com a quantidade de elogios você receberá e quanto merchandise venderá quando sair do palco.
"Algum pedido?"
Você nunca vai conseguir tocar a músicas que você de fato ensaiou pra isso e sempre vai haver aquele cu de burro que grita ‘Toca Raul’ como se ele tivesse inventado essa graça.
Toque as suas músicas. Se alguém dirigiu 500 km para ouvir uma música, essa pessoa vai gritar por ela, pergunte você ou não.
"O som está bom para vocês?"
Isso é um tapa na cara do técnico de som. Nunca pergunte algo do tipo ao público. É pro som estar redondíssimo. Se não está, então é culpa sua ou do técnico. De qualquer modo, você acaba de emputecer a única pessoa na sua banda que consegue de fato deixar o seu som ainda PIOR.

Texto original por ARI HERSTAND


Fonte: Whiplash

Lollapalooza oferece transporte de vans ou ônibus a R$ 40

lollapalooza

Reserva deve ser feita com antecedência
A produção do Lollapalooza está disponibilizando vans e ônibus que vão levar e trazer o público ao festival ao preço de R$ 40. O chamado “serviço de transfer” vai funcionar a partir das 10h da manhã de cada dia de shows, até duas horas depois do término da última apresentação. O acesso ao público para o serviço ocorrerá no hotel Sheraton WTC, localizado na Av. das Nações Unidas 12559. O ponto de encontro da ida será no WCT Events Center, na Sala Chagal (Piso M). Na volta, o embarque será feito no lado oposto da Av. Interlagos, próximo ao portão TL. O local de desembarque será o mesmo de embarque e vice-versa.

Os lugares devem ser reservados com antecedência, através da compra do bilhete, no site www.ticketsforfun.com.br. O transfer é individual, intransferível e não será vendido na bilheteria do festival. Se você optar por não usar este serviço, vale olhar o esquema de transporte criado pelo Lolla, nesse endereço.
O Lollapalooza acontece nos dias dias 5 e 6 de abril, sábado e domingo, no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. As atrações principais desse ano são Muse, Nine Inch Nails, Arcade Fire e Soundgarden. Para ver a programação completa, vá até aqui.
Ainda há ingressos, que, no primeiro lote, saem por R$ 290 (inteira) ou R$ 145 (meia-entrada). No segundo lote o preço sobe para R$ 350 (inteira) ou R$ 175 (meia-entrada). O Lollapass, para os dois dias do festival, continua sendo vendido, em lote limitado, por R$ 540 (inteira) ou R$ 270 (meia-entrada). O valor pode ser parcelado, no cartão de crédito, em até três vezes. Clique aqui para saber tudo sobre o festival.
Atrações do festival, Muse, Cage the Elephant, Jake Bugg e Disclosure vão fazer shows paralelos em São Paulo; clique aqui para ver todos os detalhes. No Rio, Arcade Fire e Imagine Dragons também têm shows individuais agendados. Clique aqui e aqui para ver todos os detalhes.

Fonte: Rock em Geral

sexta-feira, 28 de março de 2014

Bush trabalha em novo álbum de estúdio


Gavin Rossdale e Nick Raskulinecz
 
Vinte anos após o lançamento do disco de estréia, “Sixteen Stone”, a banda inglesa Bush está de volta aos estúdios para a gravação de um novo álbum. As gravações são realizadas no Studio 606, de propriedade de Dave Grohl, na região de Northridge, em Los Angeles.

O novo material tem produção assinada por Nick Raskulinecz, produtor vencedor de um Grammy e que traz no curriculum trabalhos com Alice in Chains, Deftones e Foo Fighters.

O Bush ainda não divulgou detalhes sobre o novo material, nem a previsão para o CD esteja disponível nas lojas. O último álbum com material inédito lançado pela banda foi “The Sea of Memories”, de 2011. No ano passado a banda lançou um DVD a vivo gravado em Austin, no Texas.
 
Com informações do Território da Musica

CONTINUA O SUPER QUEIMA DA ANTRO





APROVEITE O QUEIMA DA ANTRO E DEIXE SEU SKATE COM CARA DE NOVO COM AS NOVAS PEÇAS E ACESSÓRIOS QUE JÁ ESTÃO A SUA DISPOSIÇÃO!


APROVEITE!




quinta-feira, 27 de março de 2014

Paulo Schroeber: depoimentos de Edu Falaschi e Marcelo Moreira

Os ex-companheiros de banda do grande guitarrista PAULO SCHROEBER, falecido ontem, publicaram notas em suas páginas no Facebook lamentando a grande perda desse artista.
Edu Falaschi disse:
Um dia, tive o prazer de conhecer um cara simples e completamente maluco! De visual agressivo, mas de uma tranquilidade digna dos grandes! Ele veio até minha casa em meados de 2008, para fazer um teste para o ALMAH. Conversamos e pude perceber seu jeitão do interior do Rio Grande do Sul, dai ele me perguntou " E ai véio, o que você quer que eu toque? Nem conheço as paradas do ANGRA nem ALMAH " na hora gargalhei pelo seu jeito mal humorado, mas muito engraçado, dai eu disse "Cara, faz alguma coisa que você goste", daí ele me disse, "eu gosto de descer o sarrafo na guitarra" hahaha, eu ri muito com essa frase, daí o cara começou a tocar, fiquei em choque com tamanha técnica e facilidade de tocar as coisas mais malucas que eu já presenciei ao vivo de um guitarrista! Conversamos bastante depois disso e a partir dai nasceu uma grande amizade e linda fase no ALMAH onde tivemos o prazer de te-lo como amigo e parceiro de banda nos discos 'Fragile Equality' e 'Motion'. Que ficarão eternizados com sua inesquecível contribuição! Eu gostaria muito de agradecer a família Schroeber por ter cuidado com todo o amor do nosso parceiro até seu ultimo suspiro! Esse cara lutou muito, até o fim, tocando sua guitarra, que era um dos grandes motivadores de sua batalha! Parceiro Paulão, "Paulo Véio" como nós o chamávamos, descanse em paz onde você estiver! Sentiremos muitas saudades de você!
Imagem

O baterista Marcelo Moreira disse:
Paulo Schroeber descanse em paz!!!!
Estou chorando, arrasado e sem chão agora.
É assim que defino o que estou passando e sentindo após a perda do músico mais foda do mundo que já conheci, e além disso um amigo que conheci ha mais de 20 anos.
Um cara figuraça e que fiz de tudo para que o mundo tivesse o prazer de conhecer o que o pessoal de Caxias do Sul sempre soube. Tínhamos um "fenômeno" em casa.
Para vocês terem noção, após eu entrar no Almah, eu percebi que a banda precisava de um segundo guitarrista para estar ao lado do Marcelo Barbosa. Então falei que eu conhecia O CARA para estar junto a banda. Naquele momento a banda foi relutante pois tinhamos receio de colocar outra pessoa na banda pois não sabíamos se íamos nos dar bem, se ele iria somar a banda e tudo mais.
Mas convenci Edu Falaschi que o cara não era desse mundo. Aí o Edu quis ver isso em ação. Em 2 dias o Paulo estava na casa dele com aquele jeitão simplão que qualquer um que teve o prazer de conhecer ele, sabe como era. O Edu pediu para ele tocar algo para ele ver e o Paulo tímido falou que não sabia o que tocar para ele. O Edu estava tentando manter um ar profissional, afinal era o vocal do Angra, uma das maiores bandas do Brasil. Paulo começou a tocar e Edu ficou apavorado mas tentando manter o profissionalismo. Mas ele não se aguentou e começou a rir. O Paulo perguntou: - O que foi veio? E Edu falou: - Aonde você estava escondido? Pelo amor de Deusssss!!!
Lembro que eram 10:30 da manhã e o Edu me mandou uma msg no celular pedindo o que era aquilo pois ele estava apavorado.
Aí ele entrou na banda. Eu já tinha tocado com ele no Burning in Hell. Conhecia muito bem a insanidade do Paulo tocando.
O Felipe Andreoli a primeira vez que tocou com ele também falou que nunca tinha visto alguém tão técnico e tão limpo. E olha que o Felipe já tocou com os melhores!!
Tenho tantas lembranças divertidas, que espero guarda-las para sempre.
Esse ano ainda lançarei meu projeto com orquestra que teve participação dele. Ele para variar gravou coisas de outro mundo.
Sempre tentei colocar o Paulo em todas as oportunidades pois não achava justo o mundo nao conhecer esse talento.
Enfim, to extremamente arrasado!
Descanse em paz meu amigo!
Felipe Andreoli, baixista do ANGRA, foi mais sucinto, mas não menos emotivo:
Hoje meu amigo Paulo Schroeber se foi. Estou sem palavras...

Fonte: Whiplash.

Banda de Liam Gallagher toca “Champagne Supernova”, do Oasis, pela primeira vez; assista

Beady Eye - Liam Gallagher

Versão do Beady Eye para clássico da ex-banda do vocalista foi executada durante a turnê pelo Japão 

Enquanto todas as esperanças dos fãs de que o Oasis pudesse retornar se esvaem a cada insulto proferido pelos irmãos Liam e Noel Gallagher, o caçula da família tem mostrado que não é mais tão reticente às canções do ex-grupo.
Em turnê com o Beady Eye, no Japão, Liam surpreendeu o público de Osaka na última quarta-feira, 25, com uma versão de “Champagne Supernova”, um dos maiores clássicos do Oasis. A versão se repetiu no dia seguinte, ainda no Japão, em Yokohama.
Não é a primeira vez que Liam levou músicas do Oasis para os shows do Beady Eye. “Cigarettes & Alcohol”, “Rock 'n' Roll Star”, “Morning Glory”, “Wonderwall”, “Live Forever” e “Columbia” já entraram no repertório do grupo.
“Champagne Supernova”, escrita por Noel, aliás, saiu no disco (What's the Story) Morning Glory?, o segundo do grupo. O primeiro deles, Definitely Maybe, comemora 20 anos neste ano, criou-se uma expectativa, por parte dos fãs, de que o Oasis poderia se reunir para celebrar a segunda década do trabalho.
Paul Arthurs, guitarrista conhecido como Bonehead, disse em janeiro à NME que Liam Gallagher aceitaria se reunir com o irmão Noel para uma apresentação comemorativa. A reunião da banda que acabou em 2009, contudo, parece ainda bastante improvável, principalmente porque o irmão mais velho não parece estar disposto a voltar ao palco com o antigo grupo.
Em entrevista à Rolling Stone EUA, Noel afirmou que o aniversário do disco não seria capaz de colocá-lo ao lado de Liam no palco, novamente. “Bom, teremos a inevitável edição de aniversário, imagino. Mas você está perguntando se a banda vai subir ao palco e se acabar de tocar “Rock 'n' Roll Star” em algum lugar, tipo as Filipinas ou algo assim?”, questionou ele. “É, então, isso quer dizer que a banda acabou, não existe mais. Não há mais banda. Então, não. Eu não me envolveria, de qualquer forma. Se acontecer uma reunião, eu não farei parte dela.”
As 15 separações mais conturbadas do rock.
Ouça a versão de “Champagne Supernova”, do Beady Eye:
Fonte: Rolling Stone Brasil

quarta-feira, 26 de março de 2014

Guns N’Roses leva 11 mil ao show de Brasília

Sem registro de atrasos, grupo fez o terceiro show da atual turnê brasileira depois de circular pela Capital Federal; abertura foi da Plebe Rude. Foto (do show do Rio): Luciano Oliveira.

guns14-8 

Aconteceu na noite desta terça (25/3) o show do Guns N”Roses em Brasília. O grupo teve um público estimado em 11 mil pessoas, de acordo com a assessoria de imprensa do evento, que aconteceu no Ginásio Nilson Nelson, mesmo local onde a abanda tocou em 2010. Foi a terceira apresentação da atual turnê brasileira, que já havia passado por Rio e Belo Horizonte. A abertura foi da Plebe Rude.

O repertório teve ligeiras alterações, como a inclusão de músicas como “Civil War” e “Shackler’s Revenge”, tocadas pela primeira vez nessa turnê. Outras, como “This I Love”, foram suprimidas; veja o set list completo mais adiante. O show começou em torno das 22h, sem registros de grandes atrasos por parte do vocalista Axl Rose.

Durante a tarde, integrantes do Guns N’Roses circularam por pontos turísticos da Capital Federal, e acabaram “participando” de um protesto de alunos no Museu de Anatomia Humana na Universidade de Brasília. No fim, Richard Fortus, Dizzy Reed, Chris Pitman e Frank Ferrer acabaram tirando fotos com todos. Eles também foram vistos no Templo da Boa Vontade, na segunda (24/3), um dos tradicionais pontos religiosos de Brasília.

No sábado passado (22/3), o Guns N’Roses tocou para cerca de 20 mil pessoas na Espanada do Mineirão, em Belo Horizonte, como a atração principal do festival Planeta Brasil. Foi registrado um atraso de cerca de meia hora de Axl Rose). Além do Guns, tocaram no festival nomes de destaque da música brasileira como Raimundos e Frejat, e ainda outras atrações internacionais, como Slitghtly Stoopid e o rapper B-Real, líder do Cypress Hill.

A turnê brasileira do Guns N’Roses começou na quinta (20/3), quando o grupo reuniu cerca de 13 mil pessoas - segundo os produtores - na Arena HSBC, no Rio. Em aproximadamente 2h20, o grupo tocou 23 números, incluindo músicas do disco mais recente do grupo, “Chinese Democracy”, de 2008, sucessos da era de ouro do Guns N’Roses e muitas improvisações.

A novidade foi a inclusão de duas músicas cantadas por outros integrantes: “Teenage Kicks”, do Undertones, pelo baixista Tommy Stinson, e “Abnormal”, pelo guitarrista Bumblefoot. Ele protagonizou um dos momentos mais emocionantes da noite, ao tocar durante o seu solo, a íntegra do Hino Nacional Brasileiro, ao ser acompanhado a plenos pulmões pelo público, relembrando a participação das torcidas na última Copa das Confederações. Clique aqui e leia a resenha completa do show.

Agora, a turnê do Guns passa por São Paulo, na sexta, dia 28; Curitiba, dia 30/3; Florianópolis, dia 1/4; Porto Alegre, dia 3/4; Recife, dia 15/4; e Fortaleza, dia 17/4; veja como comprar os ingressos mais adiante. O giro passa ainda por Argentina, Paraguai e Bolívia, antes de o grupo voltar para os Estados Unidos, onde, em junho, faz nova residência em Las Vegas.

Da temporada de 2012 na cidade do jogo, saiu o DVD “Appetite For Democracy”, que comemora aniversário de 25 anos do álbum “Appetite For Destruction”, o primeiro do Guns, e o de quatro anos de “Chinese Democracy”, o mais recente. O repertório da turnê é baseado nas músicas que estão no vídeo.

Da formação original só permanece o vocalista Axl Rose, mas hoje o Gun N’Roses está longe de ser um “cata-cata” de amigos de Axl. O último a entrar foi o guitarrista DJ Ashba, em 2009, sendo que o restante da formação está junta já há oito anos: Richard Fortus e Ron “Bumblefoot” Thal (guitarras), Tommy Stinson (baixo), Frank Ferrer (bateria) e Dizzy Reed e Chris Pitman (teclados). Sim, são oito integrantes para conseguir reproduzir o som do Guns original e ao mesmo tempo satisfazer a megalomania de Axl.

Veja abaixo o repertório do show de ontem, em Brasília, e, depois, o serviço de cada cidade por onde passa a turnê:
1- Chinese Democracy
2- Welcome To The Jungle
3- It’s So Easy
4- Mr. Brownstone
5- Estranged
6- Better
7- Rocket Queen
8- Shackler’s Revenge
9- Solo guitarra Richard Fortus
10- Live and Let Die
11- This I Love
12- Teenage Kicks
13- Solo teclado Dizzy Reed
14- Catcher in the Rye
15- You Could Be Mine
16- Solo guitarra DJ Ashba
17- Sweet Child O’ Mine
18- November Rain
19- Abnormal
20- Don’t Cry
21- Civil War
22- Knockin’ On Heaven’s Door
23- Nightrain
Bis
24- Patience
25- The Seeker
26- Paradise City
Serviço
São Paulo
Abertura: Doctor Pheabes
Parque Anhembi: Avenida Olavo Fontoura, 1209 – Santana
Dia 28/3, sexta, 21h
Preços: R$ 550 (Paradise City, Lote 1) ou R$ 270 (Pista, Lote 1)
Informações e vendas: www.ingressorapido.com.br/Evento.aspx?ID=31972
Curitiba
Estádio Durival Brito: Rua Engenheiro Rebouças, 1100 - Vila Capanema
Dia 30/3, domingo
Preços: R$ 600 (Jungle Zone), R$ 480 (Paradise - Pista Premium), R$ 450 (Cadeiras), R$ 320 (Pista) ou R$ 220 (Arquibancada)
Informações e vendas: www.blueticket.com.br
Florianópolis
Stage Music Park: Rod. Jornalista Maurício Sirotsky Sobrinho, 2500/Km 1,5
Dia 1/4, terça
Preços: R$ 280 (Paradise - Pista Premium), R$ 220 (Camarote) ou R$ 220 (Pista)
Informações e vendas: www.blueticket.com.br
Porto Alegre
Pavilhão da FIERGS
Dia 3/4, quinta
Preços: R$ 460 (Paradise - Pista Premium), R$ 360 (Pista), R$ 360 (Cadeiras) ou 160 (Arquibancada)
Informações e vendas: www.blueticket.com.br
Recife
Chevrolet Hall: Av. Gov Agamenon Magalhães, s/n – Salgadinho
Dia 15/4, terça, 20h
Preços: R$ 800 (Camarote, 1º Piso), R$ 600 (Camarote, 2º Piso), R$ 500 (Camarote, 3º Piso), R$ 700 (Frontstage), R$ 600 (Paradise) ou R$ 240 (Pista)
Informações e vendas: www.ingressorapido.com.br/Evento.aspx?ID=32554
Fortaleza
Centro de Eventos de Fortaleza: Av. Washington Soares, 999 – Edson Queiroz)
Dia 17/4, quinta, 21h
Preços: a definir
Informações e vendas: www.blueticket.com.br 
CURTA UM POUCO DO SHOW ABAIXO:

Fonte: Rock em Geral

Paulo Schroeber: nota oficial sobre falecimento do músico




Após vários dias internado para tratamento do coração na UTI do Hospital Nossa Senhora Medianeira (Hospital do Círculo), em Caxias do Sul - RS, PAULO SCHROEBER, um dos guitarristas mais talentosos do Brasil, não resistiu e faleceu nesta segunda-feira (24/03). O procedimento de reconfiguração do aparelho cardíaco não surtiu efeito e o músico precisava urgentemente de um transplante. O quadro se agravou devido ter formado água em seus pulmões em razão do crescimento do coração, que pressionava este órgão, o que o deixava com dificuldades para respirar.

“Em nome Island Press agradeço o imenso carinho, admiração e respeito dos fãs e amigos ao Paulo, principalmente nas redes sociais. Torcemos e oramos muito pela sua vida. Em homenagem ao músico, iremos manter PAULO SCHROEBER no cast, afim de que jamais sua arte seja esquecida pelo público.”
 Rômel Santos  
VEJA PERFORMANCE DO MUSICO:
 
Fonte: Islandpress

Scrok em destaque na Metal Warriors Magazine

 
A banda maranhense SCROK foi protagonista de uma elucidativa entrevista, conduzida e disponibilizada na nova edição da Metal Warriors Magazine, que teve como enfoque o lançamento do debut álbum do grupo – “Welcome to Terror” - e o seu retorno aos palcos para sua nova turnê nacional.

O primeiro álbum do SCROK, “Welcome to Terror”, foi lançado no Brasil através da Eternal Hatred Records em parceria com a Rising Records, dentro do enorme cronograma de lançamentos do selo para 2013/14. A distribuição do material já está sendo realizada pela Voice Music, garantindo o produto nas principais lojas especializadas e MegaStores do país.

Para mais informações sobre as atividades da banda SCROK e dos demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalpress.com. 

Com informações do Metal Clube

segunda-feira, 24 de março de 2014

Onde dói mais fazer tatuagem?

Os lugares mais dolorosos têm sempre pele muito fina e com pouca gordura e são cheios de terminações nervosas - ou têm ossos próximos à superfície da pele. 

Cabeça - Dor intensa
Na testa a dor é maior pois um importante nervo, o trigêmeo, está mais exposto. No resto, dói menos. Apesar de o crânio ser tão superficial quanto os ossos do pé, a pele aí é forte. Afinal, ela protege o cérebro.

Lábios - Dor intensa
Vai sangrar, vai arder. Mas não vai doer como na palma da mão, por exemplo. A parte mucosa do beiço é grossa, feita para proteger das mordidas - dadas por engano ou não.

Pescoço - Dor intensa
Por ligar a cabeça a todo o corpo, tem muitas terminações nervosas. A pele aqui é mais fina e com poucos lipídeos, o que caracteriza uma derme seca, mais suscetível à dor.

Peito - Dor muito intensa
O peito tem menos músculos que as costas. Eles podem crescer mais rápido com malhação e, assim, um fortão sente menos dor ao tatuar o tórax do que um magrelo.

Costela - Dor muito intensa
Costelas estão próximas da pele. Quanto menos grossa for a camada de gordura sobre elas, mais intensa é a dor. Por isso, os magros sofrem mais ao tatuar nesse local.

Palma da mão - Dor muito intensa
Tem função neurossensorial e está em constante comunicação com o cérebro. Ou seja, temos mais terminações nervosas e, portanto, tatuagem nessa área dói mais.

Região genital - Dor intensa
Por ser erógena, tem muitas terminações. E a tatuagem anal, hit na internet recentemente (embora tatuar a bunda toda seja uma prática antiga), também dói. O ânus é uma mucosa com microrrachaduras e muito sensível.

Pé - Dor muito intensa
São 29 ossinhos cobertos por pouca pele. E a dor piora se a tatuagem for na planta, a famosa sola do pé. Ela é muito sensível e tem ligações com todas as partes do corpo.
Fontes Cyro Hirano, dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia; Daniel Gontijo Ramos, dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia; Geleia e Leo Tressino, tatuadores profissionais.  


                                                              Informações: Abril

AGUARDEM AS NOVIDADES DE SKATES PARA ESTA SEMANA

NÃO SÃO SÓ SKATES QUE MOVIMENTARAM A ANTRO DO ROCK. SÃO INÚMEROS PRODUTOS E ACESSÓRIOS. É SÓ AGUARDAR!

RUA BARROSO, 505 - C/N
TERESINA- PIAUÍ
FONE (86) 3222 8073

Arquivo do blog