quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Eddie Van Halen passa por cirurgia de emergência e banda cancela turnê

 
O guitarrista Eddie Van Halen passou por uma cirurgia de emergência, para tratar de uma diverticulite, informou a banda em comunicado. Com isso, os últimos shows que a banda ainda tinha agendados para 2012, no Japão, foram adiados.
                                             O comunicado no site da banda diz:

“Eddie Van Halen passou por uma cirurgia de emergência por conta de um ataque severo de diverticulite. Não haverá necessidade de novas cirurgias e a recuperação completa é esperada em um período entre quatro e seis meses.


A turnê que o Van Halen faria no Japão em novembro está sendo remarcada e a banda está ansiosa para ver e tocar para os fãs em 2013.”


O Van Halen já havia adiado mais de 30 apresentações nos Estados Unidos, o que fez aumentar os boatos de que a relação entre os integrantes não estava bem. No entanto, Eddie e o vocalista David Lee Roth negaram os rumores e alegaram que o motivo do adiamento era o fato de o grupo “ter dado um passo maior que a perna”, marcando datas demais.


Em 2012, a banda lançou o álbum “A Different Kind of Truth”, o primeiro com o vocalista David Lee Roth em quase 30 anos. 

                                                        Fonte: Territorio da Musica

Fear Factory: Carioca Club - São Paulo/SP

 
Com a grande quantidade de shows que vem ocorrendo no Brasil, principalmente na cidade de São Paulo, alguns acabam agendados para dias um pouco complicados como no caso do Fear Factory, em plena segunda feira. O fato de ser um dia de semana somado ao já habitual trânsito da capital paulista fez com que no horário programado a casa ainda não estivesse cheia.

Pontualmente as 21 horas, a banda brasileira Atomn subiu ao palco apresentando seu pesado som com influências do metalcore e toques bem colocados de música eletrônica. Com letras em português, as músicas de seu álbum "Caos e Reparação" agradaram os presentes que iam aos poucos enchendo a pista do Carioca Club. A versão de "Attitude" do Sepultura ajudou mais ainda nesse quesito.


Carismático, o vocalista e guitarrista Rafael conversou com o público, distribuiu algumas camisetas e agradeceu à equipe da casa e produção. "Serial Killer" encerrou o set de pouco mais de meia hora e a banda cumpriu bem o seu papel de abertura e de se apresentar para muitas pessoas que não os conheciam.


Já com a casa cheia era chegada a hora do Fear Factory. Extremamente influentes para muitas bandas surgidas a partir da metade dos anos 1990, os americanos tinham um bom público, diverso tanto entre fãs das vertentes mais extremas do heavy metal como do hardcore e suas variações.


 
Tal diferença de estilo não atrapalhou em nada e muitas vezes durante a apresentação, o vocalista Burton C. Bell elogiou a interação da plateia brasileira que respondia com entusiasmo fosse com um "mosh pit" que durou o show inteiro ou cantando todas as canções.

Sendo a turnê de divulgação do novo álbum, "The Industrialist", o 'setlist' teve inicio com faixa título seguida de três clássicos em sequência de "Obsolete" lançado em 1998. Mais do que o suficiente para ter o público em mãos logo de cara. Faixas como "Linchpin" e "Powershifter", respectivamente de "Digimortal" e "Mechanize", também não foram deixadas de lado sendo extremamente bem recebidas.


Um fato interessante é que poucos dias antes da apresentação da banda, seu primeiro lançamento "Soul of a New Machine" havia comemorado 20 anos. Fato esse que foi lembrado pelo vocalista ao anunciar de uma vez duas canções desse álbum. As faixas esolhidas foram "Martyr" e "Scapegoat" que abriram caminho para o final do show totalmente dedicado ao maior clássico da banda.


Quatro canções de "Demanufacture" vieram a encerrar a noite de forma intensa: a faixa título do álbum, "Self Bias Resistor" aonde Burton C. Bell chegou a reger o público como um coral ao final da canção tal qual um maestro, "Replica" citada como "a música que todos esperavam" - e de fato era tamanha a recepção que teve - e ainda "Zero Signal" que encerrou a apresentação de forma direta já que não é do costume do Fear Factory fazer uma pausa e retornar para um bis.


Após o final da apresentação alguns membros da banda ainda foram até a ponta do palco distribuir palhetas e cumprimentar alguns fãs rapidamente. Uma pena apenas que o dia da semana não colaborou muito para que o Fear Factory tivesse a oportunidade de se apresentar para a totalidade de seus fãs aqui no Brasil, mas aqueles que estiveram no Carioca Club foram recompensados de forma impecável.
                                                    VEJA UM POUCO DO SHOW: 
 
Fonte: Territorio da Musica


quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Slash diz ter flagrado sua mãe e David Bowie nus quando criança



 O guitarrista Slash
Slash, ex-guitarrista da banda Guns N' Roses, afirmou à rádio australiana Triple M que encontrou sua mãe e David Bowie nus quando tinha oito anos de idade. Ola Hudson, mãe de Slash, desenhava figurinos e trabalhou com Bowie em meados da década de 1970.
"Minha mãe começou a trabalhar com David profissionalmente, no início. Tenho certeza de que começou assim. Então virou um tipo de romance misterioso que durou um tempo", disse Slash.
"Ela fez o figurino dele no período [do personagem] Thin White Duke e no filme 'O Homem que Caiu na Terra'. Ela fez tudo aquilo e ele esteve por ali durante um tempo", disse. "Ele estava sempre por perto, eles estavam sempre juntos. Uma vez flagrei os dois pelados. Tinha um monte de coisas acontecendo, mas minha perspectiva era limitada."
"Olhando para trás, eu sei exatamente o que estava acontecendo. Quando olho para trás e vejo aquela combinação de pessoas, só posso imaginar o quão estranho aquilo era", concluiu Slash.


                                                       




Fonte: Folha de São Paulo



































ConeCrew recoloca o rap carioca no cenário nacional

Numa tarde de sol intenso passada entre a pista de bocha e um mini "half" de skate no condomínio residencial de alto padrão Novo Leblon, na Barra da Tijuca, Tiago Alves, 25, quer saber "até quando vai essa campanha escrota na televisão".
A indagação faz sentido e tem a ver com o marketing da banda de rap mais bombada do país na atualidade, a ConeCrewDiretoria, da qual Tiago, conhecido como Papatinho, faz parte.
O "beatmaker" quer saber até quando vai o horário político na TV por achar o momento oportuno para lançar o próximo clipe.
Produzido por Fred Ouro Preto, "Chefe de Quadrilha" faz críticas à classe política, representada pelo personagem Armando Golps, e deve ser lançado apenas no fim de setembro.
A estratégia de segurar a novidade se justifica pela preocupação de não prejudicar a carreira do clipe de "Chama os Mulekes", visto por mais de 5 milhões de pessoas no YouTube e pelo qual a ConeCrew foi indicada a quatro categorias no VMB (clipe do ano, hit do ano, melhor banda e revelação), da MTV.
Na cerimônia de premiação, marcada para 20 de setembro, a banda se apresentará ao lado de Projota, revelação do rap de São Paulo.

                                                  Cecilia Acioli/Folhapress
Da esquerda para a direita: Batoré, Papatinho, Ari, Rany Money, Cert e Maomé
              Da esquerda para a direita: Batoré, Papatinho, Ari, Rany Money, Cert e Maomé
A trajetória do grupo formado em 2006, que conta com dois discos até o momento --"Ataque Lírico" (2007) e "Com os Neurônios Evoluindo" (2011)--, vinha decolando, mas foi com o clipe de "Chama os Mulekes", neste ano, que deslanchou.
O vídeo oficial dura mais de dez minutos e conta com as participações de nomes como Hyldon, Mr. Catra, Tico Santa Cruz, Marcelo D2 e o ator Milhem Cortaz --o Zero Dois, de "Tropa de Elite".
Por ter a maconha no centro da maioria de suas letras, a banda foi inevitavelmente comparada ao Planet Hemp.
"A gente nunca escondeu nada, mas nossas letras não falam só de maconha. Tem música sobre liberdade, sobre política, música mais de pista, de festa. A gente não pensa em focar num assunto só", comenta Papatinho.
                                                                       RAP STARS
Ali, no condomínio Novo Leblon, um dos produtores do grupo sua a camisa para driblar a dispersão e o espírito arruaceiro dos integrantes da banda --Papatinho, e os MCs Rany Money, Maomé, Ari, Cert e Batoré, todos com idade entre 25 e 26 anos-- e conseguir que eles assinem o contrato para que a música "Falo Nada" (gravada com participação de Marcelo D2) entre na trilha da novela "Malhação", da Globo.
O próximo disco de D2, com lançamento previsto para este ano, deve contar com ao menos uma parceria com os moleques da Cone.
"Foi o Stephan [filho de D2] que veio falar comigo sobre eles. Eu já conhecia vários deles das batalhas de MCs que rolavam na Lapa. Acho maneiro esse caminho novo, essa independência da Cone e de gente como Criolo, Emicida", diz Marcelo D2.
Além de aparecer na trilha de "Malhação" e de estar no novo disco de D2, um tema da Cone também deve ser registrado no próximo trabalho de Gabriel, o Pensador, já em fase de masterização.
A fama também tem pintado no caminho do grupo. O Twitter narra o "agarra-agarra" e o fuzuê armado por fãs em portas de hotéis. Nas ruas, a mesma rotina.
"Hoje mesmo, um cara do Ponto Frio pediu para tirar uma foto. Aí, boladão, moleque", comenta Papatinho com Rany Money.
No fim do ano passado, a gravadora Universal chegou a sondar o grupo, mas os garotos preferiram seguir independentes para ter mais liberdade criativa.
A banda chega a fazer uma média de 15 shows por mês, com cachês que variam entre R$ 20 mil (em cidades menores) e R$ 50 mil (em capitais).
"Hoje você vê um monte de show de rap no Rio. A gente ajudou, quebrando preconceitos. Tocava em festival de rock, em baile funk. Isso ajudou a disseminar o rap no Rio", diz Rany Money. 
 Fonte: Folha uol

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Pussy Riot apelam de condenação a dois anos de prisão

Banda foi condenada por protesto contra o presidente russo Vladimir Putin . Foto: AP

As três jovens integrantes da banda punk russa Pussy Riot apelaram nesta segunda-feira da decisão que as condenou a dois anos de prisão por uma "oração" contra o presidente Vladimir Putin em uma catedral, afirmou um dos advogados de defesa, Violetta Volkova.
"Todos os papéis estão no expediente" apresentado no Tribunal Municipal de Moscou, declarou Volkova.
No dia 17 de agosto, três membros das Pussy Riot, Nadejda Tolokonnikova, 22, Yekaterina Samutsevich, 30 , e Maria Alejina, 24, foram condenadas por um tribunal de Moscou a dois anos de reclusão por "vandalismo" e "incitação ao ódio religioso".
Três dias depois, a polícia russa anunciou que estava procurando as duas outras integrantes do grupo que também subiram ao altar da catedral de Cristo Salvador de Moscou no dia 22 de fevereiro para cantar uma 'oração' de protesto contra Putin.
No domingo, o grupo anunciou que essas duas pessoas tinham fugido da Rússia para escapar da Justiça.
O julgamento das Pussy Riot recebeu amplas críticas no exterior e a sentença emitida foi classificada de "desproporcional".
As três mulheres receberam o apoio de diversas personalidades internacionais, como Paul McCartney, Madonna, Sting e Yoko Ono, a viúva de John Lennon.
Outras manifestações foram realizadas em várias capitais europeias para denunciar o processo, de Paris a Bruxelas, passando por Londres e Barcelona;

Duas integrantes da banda punk Pussy Riot fugiram da Rússia após terem sido condenadas por protestar contra o presidente Vladimir Putin no altar de uma igreja, disse a banda neste domingo. Um tribunal de Moscou condenou em 17 de agosto três membros da banda de mulheres a dois anos de prisão por fazerem uma "oração punk" na Catedral de Cristo Salvador, de Moscou, e por pedir à Virgem Maria que libertasse a Rússia de Putin.
A sentença rendeu severas críticas internacionais contra o governo russo, e grupos de oposição no país disseram que isso é parte da repressão aos dissidentes por parte do Kremlin. A polícia tinha dito no começo da semana passada que estava procurando as outras integrantes da banda.
"Em relação à perseguição, duas de nossa banda conseguiram fugir da Rússia! Elas estão recrutando feministas estrangeiras para preparar novas ações!", disse uma conta no Twitter chamada Pussy Riot Group. A defesa das integrantes da Pussy Riot - Nadezhda Tolokonnikova, Maria Alyokhina e Yekaterina Samutsevich - deve apelar contra a sentença na próxima semana.
O marido de Tolokonnikova, Pyotr Verzilov, disse à Reuters no domingo que os dois membros da banda que fugiram da Rússia participaram do protesto na Catedral, junto com a mulher dele. "Já que a polícia de Moscou disse que está procurando por elas, elas vão ficar em silêncio, por enquanto. Elas estão em um lugar seguro, longe do alcance da polícia russa", disse por telefone.
Questionado se isso significava um país sem tratado de extradição com a Rússia, Verzilov respondeu: "Sim, parece que sim". "Mas você deve lembrar que 12 ou 14 membros que ainda estão na Rússia participam ativamente do trabalho da banda agora. É um grande coletivo", acrescentou.
Sob a lei russa, as três integrantes da Pussy Riot que foram a julgamento poderiam ser condenadas a até sete anos de prisão por vandalismo motivado por ódio religioso, mas os promotores pediram três anos e elas foram condenadas a dois anos de prisão.
Maria Alyokhina, Nadezhda Tolokonnikova e Yekaterina Samutsevich foram acusadas de "vandalismo motivado por ódio religioso" por sua performance do dia 21 de fevereiro.
Três dias mais tarde, a polícia russa anunciou que estava procurando as outras integrantes do grupo. Além das cinco jovens, outras pessoas - cujo número se desconhece - participaram na ação, principalmente filmando o ato de protesto. Várias personalidades, como Madonna e Paul McCartney, expressaram seu apoio às cantoras. 
ATÉ QUANDO O MUNDO ACEITARÁ ESTAS ATITUDES CONTRA AS MULHERES E A ARTE DE SE EXPRESSAR. QUE ME DIGAM O POVO MUSSUMANO E OUTROS IDIOTAS MUNDO A FORA QUE TRATAM A MULHER COMO UM SER IRRACIONAL QUE SÓ SERVE PARA PROCRIAÇÃO E O PRAZER MASCULINO.


Fonte: .Folha Online / France Press /  Terra
Edição: Gabriel Hammer

Shows de Evanescence e Robert Plant têm transmissão pela Internet confirmada

 
O portal Terra transmitirá online e gratuitamente os shows de Evanescence e Robert Plant no Rio de Janeiro. As apresentações acontecem no mês de outubro, no HSBC Arena.

O Evanescence toca na capital carioca no dia 6 e ainda visita outras quatro cidades brasileiras: Porto Alegre  (04/10), São Paulo (07/10), Recife (11/10) e Fortaleza (13/10). O show de abertura será feito pela banda The Used.

Já Robert Plant, o ex-vocalista do Led Zeppelin, se apresenta em Belo Horizonte (20/10), São Paulo (22/10), Brasília (25/10), Curitiba (27/10) e Porto Alegre (29/10).
ROBERT PLANT:
 
EVANESCENSE:


  Fonte: Cidade web rock
Edição: Gabriel Hammer

Judas Priest: Loudwire elege as 10 melhores músicas

Assim como foi nas listas das 10 melhores músicas do PANTERA e THIN LIZZY, escolher as 10 melhores músicas do JUDAS PRIEST também exigiu muito sacrifício. Após 43 anos, 30 singles, 16 álbuns de estúdio além de material ao vivo, todos nos quais estiveram em constantemente evolução desde o início da banda, você faria seu cérebro ferver na tentativa de encontrar apenas 10 músicas que ajudaram a moldar o heavy metal. No mínimo, você passaria noites sem dormir ao tentar organizar e reorganizar uma sequência de músicas, aparentemente interminável. No entanto, o pessoal do Loudwire atravessou um abismo psicogênico ao criar uma lista definitiva com as 10 melhores músicas do Judas Priest, confira.

10. "Turbo Lover" do álbum "Turbo" (1986)

Imagem
Lançada no álbum da banda de 1986, "Turbo", a faixa "Turbo Lover" apresenta uma dependência de sintetizadores, que consumiu os anos 80, deixando ainda mais pesada e mais respeitada pelos deuses do metal, o Judas Priest. Caracterizando a ligação da banda com motocicletas e acessórios em couro, "Turbo Lover" trouxe a banda de volta ao território do rock 'n' roll que a banda já reforçava antes do lançamento de suas obras prima do heavy metal, "Screaming for Vengeance" (1982) e "Defenders of the Faith" (1984).

09. "You've Got Another Thing Comin'" do álbum "Screaming For Vengeance" (1982)

Imagem
"You've Got Another Thing Comin'" será sempre uma das faixas mais marcantes da carreira do Judas Priest. Lançada no álbum "Screaming For Vengeance", a canção tem uma abordagem mais simples e mais acessível ao som da banda, com a voz de Rob Halford poderosamente guiando a música, apesar do "Metal God" insistir em usar sua lendária voz em sua capacidade total.

08. "Dreamer Deceiver" do álbum "Sad Wings of Destiny" (1976)

Imagem
Diminuindo um pouco o rítmo, vamos descer um pouco com "Dreamer Deceiver" do segundo álbum da banda, "Sad Wings of Destiny". A canção é uma das primeiras do Judas Priest, faixas épicas como "Victim of Changes", que também reivindica um lugar na nossa lista das 10 mais do Judas Priest. A versão que está no álbum é grande, mas para compreender completamente a melodia, recomendamos conferir uma das apresentações ao vivo em meados dos anos 70.

07. "Freewheel Burning" do álbum "Defenders of the Faith" (1984)

Imagem
Sendo a primeira faixa da obra-prima do Judas Priest de 1984, "Defenders of the Faith", "Freewheel Burning" é uma das faixas com uma das maiores aberturas da história do rock. Halford não brinca com a canção, liberando todo o potencial de sua voz depois dos riff´s de abertura dos guitarristas K.K Downing e Glenn Tipton. "Freewheel Burning" é absolutamente obrigatória para qualquer fã de música, e demonstra perfeitamente o profundo poder que Rob Halford evocava como vocalista.

06. "Victim of Changes" do álbum "Sad Wings of Destiny" (1976)

Imagem
Algumas das obras mais impressionantes do Judas Priest são executadas de forma mais lenta, com clássicos drives de guitarras. "Victim of Changes", foi lançada em 1976 no álbum "Sad Wings of Destiny", com influência de BLACK SABBATH, extremamente predominante na música. Dos poderosos riffs estilo Tony Iommi, até a surpreendente performance vocal de Rob Halford alá Ozzy Osbourne, "Victim of Changes" é uma poderosa música de heavy metal, por excelência.

05. "Living After Midnight" do álbum "British Steel" (1980)

Imagem
Uma das canções do Judas Priest para se cantar junto, "Living After Midnight" foi o primeiro single do lendário álbum "British Steel", que foi o primeiro álbum da banda a atingir o ouro nos Estados Unidos. A música já foi regravada por bandas como DISTURBED e L.A GUNS, e por Alice Cooper e Geezer Butler (baixista do Black Sabbath) em um álbum tribudo de 2011 chamado "The Chosen Few".

04. "The Hellion/Electric Eye" do álbum "Screaming For Vengeance" (1982)

Imagem
Com uma das maiores introduções instrumentais da história do metal e uma das canções mais definitivas do Judas Priest, "The Hellion/Electric Eye" é bem elaborada. Lançada na obra-prima "Screaming For Vengeance", "Electric Eye" trás um título em referência ao romance "1984" de George Orwell, em que o governo totalitário supervisiona as ações de todos os seus cidadãos.

03. "Beyond the Realms of Death" do álbum "Stained Class" (1978)

Imagem
"Beyond the Realms of Death" representa o ápice do que o Judas Priest foi capaz de realizar como músicos. Lançada como uma das faixas de encerramento do álbum de 1978, "Stained Class", a dupla de guitarra composta por Glenn Tipton e K.K Downing atraíram seus fãs com solos monumentais, que muitos desses fãs consideram ser fundamentais na carreira do Judas. Rob Halford também oferece um belo desempenho vocal, com agudos poderosos, juntamente com uma maneira mais suave de cantar.

02. "Painkiller" do álbum "Painkiller" (1990)

Imagem
Além daquela sagrada introdução de bateria, "Painkiller" passa por muitas fases em seus seis minutos de duração, mas se mesmo assim você não se surpreendeu apenas com a parte da bateria na abertura, podemos te sugerir uma avaliação psicológica. "Painkiller" não mostra fraqueza já que Rob Halford tem um estilo único de cantar, enquanto o riff principal da música, são como socos na cara do ouvinte. A faixa tem muitas partes em destaque para descrever apenas nesta matéria, como a velocidade das notas de K. K. Downing e seus sweeps que parecem desafiar todas as leis do tempo.

01. "The Sentinel" do álbum "Defenders of the Faith" (1984)

Imagem
Apesar de "The Sentinel" nunca ter sido lançada como um single oficial, ela sobreviveu ao teste do tempo sendo uma das favoritas dos fãs nas performances ao vivo. "The Sentinel" mostra toda a característica da banda, no rock e no heavy metal, com a inclusão de uma introdução épica, riffs enormes, solos borbulhantes, uma progressão magistral e uma das mais fortes performances de Rob Halford, com o seu vasto vocal. "The Sentinel" é a música perfeita para acender a chama que tem dentro dos fãs. Para nós, isso faz com que "The Sentinel" seja uma faixa obrigatória do Judas Prist.

Este blog não é responsavel pelo conteudo dos textos

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Ladyhawke e I'm from Barcelona se apresentam no Brasil


 
A neozelandesa Philippa Pip Brown, conhecida como Ladyhawke, e o grupo pop sueco I'm from Barcelona se apresentam no Brasil no próximo dia 28 de setembro, no palco do Cine Metrópole, na capital paulista.

Ladyhawke, cujo nome artístico é inspirado no filme homônimo do diretor Rutger Hauer, traz ao País o show de divulgação de "Anxiety", o segundo álbum da carreira, lançado este ano.

O I'm from Barcelona já foi eleito pela revista Time como uma das melhores apresentações musicais ao vivo do mundo. Na passagem pelo Brasil, o grupo divulga o novo disco, "Forever Today".

O show é uma realização da Jack Daniel's em parceria com a Playbook, empresa de financiamento colaborativo. Os ingressos estão à venda. Confira o serviço:

28/09/2012 - São Paulo/SP
Cine Metrópole - Avenida São Luís, 187
Horário: 23h30
Ingressos: R$ 140 inteira / R$ 70,00 meio (1º lote)
Informações: www.playbook.com.br



Fonte: Territorio da Musica

Jordan Rudess: Tocar é uma diversão

 

O Dream Theater está de volta ao Brasil neste mês de agosto. Com shows marcados em cinco capitais, a banda divulga o novo disco, “A Dramatic Turn of Events”, lançado no ano passado.

Aproveitando a passagem pelo País, o tecladista Jordan Rudess apresenta nesta segunda-feira, 27 de agosto, com ingressos esgotados, um workshop exclusivo em São Paulo, com realização da EM&T e da Korg.

Conversamos com o músico sobre seu interesse pela tecnologia, sobre o equilíbrio entre a técnica e a inspiração e sobre como sua carreira solo funciona como uma válvula de escape. Confira a entrevista.

Você acabou de lançar um aplicativo para iOS devices, o SpaceWiz. Você utiliza aplicativos, programas e instrumentos virtuais tanto em estúdio como nos shows. Sempre foi um entusiasta de novas tecnologias?

Jordan Rudess:
Desde que eu descobri o Moog eu me apaixonei pelo som e pelas expressivas e interessantes formas de controlá-lo. Minha empresa, a Wizdom Music, foi fundada com a ideia de criar uma nova geração de instrumentos musicais e os aparelhos multi-touch como o iPad são a tecnologia perfeita para levar essas nossas ideias ao mundo.

Você parece se divertir com esses aplicativos. Por exemplo, você postou um vídeo brincando com o Doodle do Google em homenagem ao Robert Moog. Tocar é uma diversão para você?

JR:
Absolutamente e completamente. Divertido para mim e espero que para os outros também!

A tecnologia, a técnica, a inspiração e o lazer podem estar juntos sempre ou você acha que uma coisa atrapalha a outra em algum momento?

JR:
Eu acho que é uma questão de equilíbrio. Você precisa de inspiração para fazer qualquer coisas então é muito bom tê-la. Muita preguiça e você irá apenas dormir ou relaxar na praia o dia todo.Ter uma boa mentalidade é importante para trabalhar com eficiência e criatividade.

Na hora de compor, o que você prioriza: a técnica, a melodia, os arranjos?

JR
: Quando estou escrevendo, o mais importante é o desejo de criar algo que levará o ouvinte numa jornada. Do coração ou da mente. Em um segundo talvez você viaje e sua cabeça vai girar e no outro a música pode tocar algo emocional. É essa a missão!

Seu último álbum solo é "Notes On a Dream", de 2009. Há planos ou ideias para um novo disco?

JR:Espero pelo momento de ter uma folga do Dream Theater e aí decidirei qual a melhor forma de usar esse tempo.Logo saberei exatamente o que irei fazer.

Suponho que a carreira solo permite explorar ideias que não cabem na música do Dream Theater. Os discos solo funcionam como uma válvula de escape?

JR: É a forma de eu fazer tipos de música que não combinam com o que eu faço no Dream Theater. O DT é muito amplo e há muito do que eu faço musicalmente que pode ser incluído, mas já que a música é minha vida e eu passo muito do meu tempo fazendo todo tipo de música, eu preciso de uma carreira solo que seja um canal para expressar minhas outras ideias musicais.

Para seus álbuns você escreve letras, o que não faz no Dream Theater. É verdade que você tem um lado poeta ou algo assim?

JR: Definitivamente, tenho. Eu realmente não aspiro escrever letras para o Dream Theater. Os outros caras têm feito isso por tanto tempo e tem feito tão bem! É o departamento deles!

Você já esteve no Brasil diversas vezes, para shows com o Dream Theater. O que conhece do nosso País?

JR: Eu sei que vocês brasileiros são uma das melhores plateias do mundo para a nossa música! Eu também tenho conhecimento de que vocês têm ricos e profundos alicerces musicais. Eu tive a oportunidade de trabalhar com alguns poucos músicos brasileiros quando toquei com o Paul Winter Consort [N. do E: grupo que mistura jazz, música clássica e world music].

Você fará um workshop em São Paulo no final deste mês, o que o público pode esperar desse evento?

JR: Tocarei algumas músicas do Dream Theater, algumas solo e falarei sobre como uso a tecnologia no meu trabalho. Será bastante focado no Korg Kronos, que é usado em cerca de 95% dos meus shows com o Dream Theater. Será uma grande oportunidade para contar algumas histórias e me divertir num clima intimista e único.  

Fonte: Territorio da musica

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Megadeth - Countdown To Extinction

Este post inicia uma série de posts comentando faixa a faixa o álbum "Countdown To Extinction", do Megadeth, que completou vinte anos em julho, e que será executado na íntegra na turnê sul-americana que se aproxima (confira aqui um post sobre esta turnê). Neste post, começaremos falando das duas primeiras canções do disco, "Skin O' My Teeth" e "Symphony Of Destruction".


Começando o disco, uma grande abertura, música que constantemente é tocada nos shows da banda. "Skin O' My Teeth", apesar de abrir o disco, foi apenas o quarto single a ser lançado. A letra tem seu lado polêmico, já que fala sobre uma tentativa mal-sucedida de suicídio (dito pelo próprio Mustaine antes de tocar a música ao vivo algumas vezes). Musicalmente, é talvez a música mais rápida do álbum, começa com uma virada de bateria e entra em um riff bem rasgante, que rapidamente conduz a canção com o vocal ainda mais rasgado de Mustaine. O solo, feito por Marty Friedman, é inspirado e vai num crescendo até retornar ao riff principal. Eu a classificaria como a terceira melhor música do álbum, abaixo de "Symphony Of Destruction" e "Sweating Bullets".
A segunda faixa do álbum começa com aquela introdução meio clássica, e irrompe em um riff matador, marcando o ritmo de um dos maiores clássicos da banda, que ajudou a alavancar as vendas do disco - é presença obrigatória nos shows ao vivo da banda, com a plateia toda gritando o nome da banda ao ritmo do riff principal. A letra fala sobre colocar um homem normal no poder e observar ele se corromper. Musicalmente, a canção tende ao heavy metal mais tradicional, cadenciado, aquele que você escuta e quer sair batendo cabeça. O solo mais uma vez é tocado por Marty Friedman; eu acho o solo anterior melhor, mas este tem suas qualidades. Na minha opinião, é a melhor música do álbum.
Fonte: ripandohistoriarock

Novo álbum de Calvin Harris terá Rihanna e Florence Welch

 
O DJ Calvin Harris anunciou que seu terceiro álbum de estúdio se chamará “18 Months” e que contará com participações de artistas como Rihanna, Florence Welch e Dizzee Rascal.

O álbum é o sucessor de “Ready For The Weekend”, lançado em 2009. O trabalho chegará às lojas em outubro e o primeiro ‘single’ será a faixa “Sweet Nothing”, com vocal de Florence Welch.


Os artistas Example, Ellie Goulding, Tinie Tempah e Neyo também estão entre os escolhidos para as parcerias. Um dos mais recentes sucessos do DJ foi a parceria com Rihanna em “We Found Love”.  
Fonte: Territorio da Musica
APOIO CULTURAL 
ANTRO DO ROCK
Rua Barroso, 505 - c/n
Teresina-PI 


quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Ex-vocalista do Supergrass se apresentará no Porão do Rock 2012

Gaz Coombes virá ao país acompanhado da banda The Bombs para apresentar músicas de seu primeiro álbum solo, Here Come the Bombs (2012) 

Gaz Coombes 

O inglês Gaz Coombes, ex-vocalista do Supergrass, volta ao Brasil para se apresentar na 15º edição do festival Porão do Rock, em Brasília, que acontece nos dias 7 e 8 de setembro, no Complexo do Ginásio Nilson Nelson. O músico virá acompanhado da banda The Bombs, que conta com Loz Colbert (ex-Ride) na bateria e seu irmão mais novo, Charly Coombes, na guitarra.
Está será a primeira vez que o músico virá ao país para apresentar músicas de seu álbum solo Here Come the Bombs, lançado em maio deste ano. Anteriormente, Coombes já esteve por aqui duas vezes para shows com o Supergrass (a primeira foi em 1996, no festival Hollywood Rock, e a segunda em 2006, no Campari Rock).
Este ano o Porão Do Rock conta com 40 atrações (nacionais e internacionais) divididas em três palcos. Além do ex-Supergrass, já estão confirmados os grupos Red Fang (EUA), Trivium (EUA), Kyuss Lives! (EUA), Motosierra (Uruguai), e os brasileiros Sepultura, Karina Buhr, Claustrofobia, Vanguart, Vivendo do Ócio, Almah, Viper, e muitos outros.
Os ingressos já estão à venda e custam R$ 20 por noite (há meia entrada). No dia do evento, o bilhete custará R$ 30 e será preciso levar 1kg de alimento não perecível, que será doado para o ONG PDR, atuante desde 2003.
Porão do Rock 2012
7 e 8 de setembro, a partir das 18h
Complexo do Ginásio Nilson Nelson
40 atrações em três palcos
Entrada (por noite): R$ 20 (antecipados) e R$ 30 (no local) + 1kg de alimento não-perecível - há meia entrada nos dois casos
Pontos de venda: lojas da rede Chilli Beans, Porão Rockwear (Taguatinga, atrás do Alameda Shopping) e Abriu pro Rock (Gama Shopping)
Classificação indicativa: 16 anos
Mais informações em http://www.poraodorock.com.br/


Fonte: Rolling Stones Brasil

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Evanescence anuncia mais uma parada no Brasil: Porto Alegre

Banda fará cinco shows em outubro no país, passando por SP, Rio, Recife e Fortaleza

Evanescence durante o show no palco Mundo, no último dia do Rock in Rio, em 02/10/2011

A banda americana de rock melódico Evanescence acrescentou uma parada em sua turnê pelo Brasil em outubro. O grupo, que já havia anunciado shows no Rio de Janeiro (dia 6, no HSBC Arena); em São Paulo (dia 7, no Espaço das Américas); em Recife (dia 11, no Chevrolet Hall), e em Fortaleza (dia 13, no festival Ceará Music, em local ainda a ser confirmado), agora fechou uma apresentação em Porto Alegre, no dia 4 de outubro, no Pepsi On Stage.
Os ingressos já estão à venda, custam a partir de 100 reais (RS), 140 reais (RJ), 180 reais (SP e Recife) e 198 reais (Fortaleza). Eles podem ser adquiridos no site www.livepass.com.br, no caso de Porto Alegre, Rio e São Paulo. No caso de Recife, pelo site www.ingressorapido.com.br. E, no de Fortaleza, pelo www.cearamusic.com.br.
A última vez que a banda Evanescence veio ao país foi em 2011, para tocar no Rock in Rio. Na ocasião, o grupo estava produzindo o álbum Evanescence, e apresentou algumas das faixas do disco no festival.
 
Fonte: Veja

Integrantes do Kiss elogiam Gaga e defendem Pussy Riot

Em lançamento de livro sobre os 40 anos da banda, músicos dizem que os grupos de rock atuais são um lixo. Vigésimo álbum será lançado em outubro

(E-D) Paul Stanley, Gene Simmons, Eric Singer e Thomy Thayer no lançamento do livro gigante "KISS Monster Book"
Os integrantes do Kiss dão entrevista no The Viper Room de Hollywood (Frederic J. Brown/AFP)
Os integrantes das bandas de rock atuais parecem "uns lixeiros" e a única estrela contemporânea de verdade é a cantora Lady Gaga, afirmaram os componentes do lendário grupo de rock Kiss. Eles também defenderam as jovens do grupo punk russo Pussy Riot, condenadas a dois anos de prisão por protestar contra o presidente Vladimir Putin. Os músicos explicaram, ainda, a decisão de gravar o próximo disco, Monster, com equipamentos analógicos.
"Há muitas bandas que têm algo. Mas falta o estrelato, a habilidade de subir no palco e reinar, ser maior que a vida", explicou Gene Simmons, de 62 anos, o baixista famoso por exibir sua língua comprida. "Não há estrelas, não existe um Elvis (Presley) ou sequer um Prince. Falta presença de palco, todos parecem lixeiros. Se vestem pior do que o público que vai assisti-los. Não há orgulho", completou.
Cenário - Os quatro músicos do Kiss, famosos pelo visual assustador e a maquiagem preta e branca, conversaram com a imprensa antes do lançamento do livro gigante KISS Monster Book, no lendário The Viper Room de Hollywood. O bar foi o cenário da morte do ator River Phoenix, por overdose, em 1993.
Reprodução twitter

Sem maquiagem na entrevista, os autores de clássicos do rock como Rock and Roll All Night e I Was Made For Lovin' You elogiaram Lady Gaga, conhecida pelo estilo excêntrico. "A única estrela do rock agora é Lady Gaga. Isto é tudo", afirmou Simmons. O guitarrista Tommy Thayer, de 51 anos, completou: "Ela sim é uma estrela". Os demais concordaram. "Há boas bandas, sou fã dos Foo Fighters, mas me deem uma estrela!", insistiu Simmons.
Paul Stanley, vocalista do Kiss, foi ainda mais longe na crítica. "Os músicos que aparecem como garçons não percebem que há mais coisas. Quando uma grande banda está no palco, é preciso dar tudo de si". Stanley, de 60 anos, completou: "Por isto existimos há 40 anos. Porque as pessoas sabem que quando nos assistem, o investimento vai valer a pena, elas serão entretidas. Temos orgulho de ser animadores e somos uma tremenda banda de rock".
Questionado se a falta de estrelas é um sintoma da ausência de megaespetáculos, Simmons apresentou sua explicação. "Não, não é sobre o show. Elvis podia subir no palco sem nada. É o carisma, a imagem, a mística". Stanley e Simmons são os dois únicos membros da formação original do grupo. Os outros dois, Thayer e Eric Singer, entraram mais tarde, depois dos problemas de convivência que provocaram uma ruptura no fim dos anos 70.
Rússia - Simmons também falou sobre a polêmica das Pussy Riot, que cantaram uma oração punk em uma catedral contra Putin e acabaram presas. "Elas são garotas muito bonitas. Não são uma boa banda, mas elas têm o direito de fazer o que querem. É muito ruim que políticos entrem no caminho de bandas de rock". Stanley concordou: "Um país forte nunca deveria ter medo da liberdade. Com a liberdade, vem a independência. Muitos países ainda tentam esmagar isto".
O megalivro lançado pelo Kiss, pensado como um objeto de colecionador, percorre os 40 anos da banda e inclui 127 fotografias, algumas inéditas. Apenas 1.000 exemplares serão vendidos, todos assinados pelos quatro integrantes. Eles também afirmaram que o próximo álbum da banda foi gravado com equipamentos analógicos porque acreditam na "beleza da imperfeição". Monster, 20º álbum de estúdio, deve ser lançado em outubro.
Fonte: Veja

Joss Stone tocará no Brasil ainda em 2012, diz jornal

 
De acordo com informações apuradas pelo jornal carioca Destak, a cantora Joss Stone fará shows no Brasil em novembro. A publicação afirma que Joss aterrissará no país na primeira quinzena do mês para apresentações em cidades ainda indefinidas.
Na última edição brasileira do Rock in Rio, a cantora fez uma apresentação apoteótica. Com a decisão de acomodá-la em um palco secundário, infelizmente, a organização do evento impediu que ela brilhasse ainda mais.
Atualmente, Joss trabalha na promoção do disco “The Soul Sessions Vol. 2″, que foi  lançado no mês passado.
 Fonte: Destak

Soundgarden divulga prévia do novo álbum

O Soundgarden divulgou um teaser de seu novo disco, com o trecho de uma das músicas que estarão no trabalho. O álbum, intitulado “King Animal”, é o primeiro de inéditas desde “Down on the Upside”, de 1996. Este ano, o Soundgarden lançou a faixa “Live To Rise”, que faz parte da trilha sonora do filme “Os Vingadores”.

“King Animal”, deve chegar às lojas entre outubro e novembro. Confira o teaser abaixo:
Fonte: Territorio da Musica

Gorgoroth: vocalista demitido por não querer vir ao Brasil

Imagem
A banda norueguesa Gorgoroth soltou o seguinte comunicado:
“Em respeito e lealdade para com nossos fãs e colaboradores, Infernus (guitarrista) demitiu Pest (vocalista) da banda. Isso ocorreu aconteceu após Pest informar que não priorizaria a turnê latino-americana, sendo que a banda embarcará daqui a apenas duas semanas para o Brasil.
Infernus decidiu continuar a turnê conforme o planejado e Hoest, da banda Taake, substituirá Pest como vocalista nos shows que se iniciarão em 07 de setembro.
Já o próximo álbum do Gorgoroth, 'Instinctus Bestalis', terá como vocalista um satanista sérvio conhecido como Atterigner, da banda Triumfall (Forces of Satan Records)”.
Gorgoroth tem quatro datas agendadas para o Brasil, como co-headliner da edição de 2012 do Setembro Negro.


Fonte: Oficial

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Cradle Of Filth lança novo álbum em outubro

cradlemanticore

“The Manticore & Other Horrors” é o décimo da banda
O novo álbum do Cradle Of Filth se chama “The Manticore & Other Horrors” e vai ser lançado no dia 30 de outubro, nos Estados Unidos. O disco é o décimo da carreira do grupo britânico. A lista de músicas não foi revelada, mas sabe-se que ela inclui faixas como “Manticore”, “Illicitus”, “Pallid Reflection”, “For Your Vulgar Delectation”, “Frost On Her Pillow” e “The Abhorrent And Siding With The Titans”. Atualmente a formação da banda conta com Dani Filth (vocal), Paul Allender e James McIlroy (guitarras), David Pybus (baixo) e Martin Skaroupka (bateria).
CURTA O SOM DA BANDA:
Fonte: Rock na Geral

Planet Hemp: mais quatro cidades recebem a turnê

Marcelo D2 volta a revelar detalhes no twitter

planethempusuario

Além dos shows que acontecem no Rio, no dia 28 de setembro, e em Porto Alegre, no dia seguinte, outras quatros cidades vão receber a turnê de retorno do Planet Hemp: São Paulo, Recife, Fortaleza e uma outra cidade a ser confirmada. A informação foi passada por Marcelo D2, através de sua conta no twitter, mas os detalhes não foram revelados.

Os ingressos para o show do Rio estão esgotados, e para Porto Alegre, custam entre R$ 50 e R$ 100; compre no site www.opiniaoingressos.com.br. Nessa turnê o grupo vai tocar a íntegra do álbum de estreia, “Usuário”. Além de D2, devem participar o rapper BNegão, o guitarrista Rafael Crespo, o baixista Formigão e o baterista Pedro Garcia. DJ Zé Gonzalez e Gustavo Black Alien (voz) também podem aparecer.
Em outubro de 2010, o Planet Hemp fez um show de reunião em uma festa da MTV, no Rio (veja como foi). Foi a primeira apresentação do grupo desde 2004. Na ocasião, o grupo tinha a intenção de realizar uma turnê, mas as carreiras pessoais dos integrantes - principalmente a de D2 - impediram o processo (saiba mais).
O Planet Hemp encerrou as atividades em 2002, depois de causar muita polêmica ao defender o plantio e o consumo da maconha em praticamente todas as suas músicas. Mesmo assim, o grupo fez muito sucesso e chegou até a ser preso em 1997, em Brasília, sob a acusação de fazer apologia às drogas. Em 2004 o grupo se reuniu para um show surpresa no Canecão, no Rio, dentro do festival Humaitá Pra Peixe. 

 Fonte: Rock na Geral
APOIO CULTURAL ANTRO DO ROCK
Teresina - Piauí
 

Novo álbum de Avril Lavigne está quase pronto


Avril Lavigne anunciou que a produção de seu novo álbum está sendo concluída. Nesta quinta-feira, 16, a cantora revelou pelo Twitter que já está na sua terceira semana consecutiva no estúdio e que o trabalho está em fase de mixagem.

"Mais três dias e terminamos. Estamos fazendo a mixagem e adicionando alguns backing vocals de última hora", postou Avril.


O álbum, ainda sem título, é o sucessor de "Goodbye Lullaby", lançado em 2011. 
VEJA DISCOGRAFIA DELA:
The Best Damn Tour - Live in Toronto (DVD): 2008
01. Girlfriend
02. I Can Do Better
03. Complicated
04. My Happy Ending
05. I'm With You
06. I Always Get What I Want
07. Best Damn Dance Break
08. When You're Gone
09. Innocence
10. Don't Tell Me
11. Hot
12. Losing Grip
13. Bad Reputation Video Montage (Joan Jett cover)
14. Everything Back But You
15. Avril on Drums
16. Runaway
17. Hey Mickey (Toni Basil cover)
18. The Best Damn Thing
19. I Don't Have to Try
20. He Wasn't
21. Girlfriend (Remix)
22. Sk8er Boi
 
The Best Damn Thing: 2007
01. Girlfriend
02. I Can Do Better
03. Runaway
04. The Best Damn Thing
05. When You’re Gone
06. Everything Back But You
07. Hot
08. Innocence
09. I Don’t Have To Try
10. One of Those Girls
11. Contagious
12. Keep Holding On
 
Live at Budokan: Bonez Tour (DVD): 2005
01. He Wasn't
02. My Happy Ending
03. Take Me Away
04. Freak Out
05. Unwanted
06. Anything But Ordinary
07. Who Knows
08. I'm With You
09. Losing Grip
10. Together
11. Forgotten
12. Tomorrow
13. Nobody's Home
14. Fall to Pieces
15. Don't Tell Me
16. Sk8er Boi
17. Complicated
18. Slipped Away

* Behind the Scenes
 
Under My Skin: 2004
01. Take Me Away
02. Together
03. Don’t Tell Me
04. He Wasn’t
05. How Does It Feel
06. My Happy Ending
07. Nobody’s Home
08. Forgotten
09. Who Knows
10. Fall to Pieces
11. Freak Out
12. Slipped Away
 
My World (DVD): 2003
01. Fuel (Live) / Anything But Ordinary
02. Basketcase / Basketcase (Live)
03. Complicated / Unwanted (Live)
04. Fuel / Sk8Er Boi (Live)
05. Get A Grip And 03 Slam Start / Knockin’ On Heavens Door (Live)
06. Why (Uk B-Side) / I Don’T Give
07. I’m With You
08. Knockin’ On Heaven’s Door
09. Losing Grip
10. Mobile
11. My World
12. Naked
13. Nobody’s Fool
14. Sk8Er Boi
15. Things I’Ll Never Say
16. Tomorrow
17. Too Much To Ask
18. Unwanted
19. We Are Family
20. Complicated (Video)
21. I’m With You (Video)
22. Knockin’ On Heaven’s Door (Video)
23. Losing Grip (Video)
24. Sk8Er Boi (Video)
 
Skater Girl (DVD): 2003
 
Losing Grip / Complicated (DVD): 2003
 
Let Go: 2002
01. Losing Grip
02. Complicated
03. Sk8er Boi
04. I’m With You
05. Mobile
06. Unwanted
07. Tomorrow
08. Anything But Ordinary
09. Things I’ll Never Say
10. My World
11. Nobody’s Fool
 
Fonte: Territorio da Musica
 

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Rock of Ages - O Filme (DICAS DA ANTRO)

Rock of Ages - O Filme 
 Sherrie (Julianne Hough) é uma jovem que chega de uma cidade pequena na grande Hollywood e se depara com um cenário musical em plena ebulição com muitas bandas de rock e com todos os excessos da vida dos grandes músicos. Lá, ela conhece Drew (Diego Boneta), um aspirante a roqueiro, o arrogante rock star Stacce Jaxx (Tom Cruise) e acaba indo dançar num clube de striptease comandado por Justice (Mary J. Blidge). A vida de Sherrie chega ao limite, mas o verdadeiro amor é capaz de provocar grandes revoluções. Adaptado do musical de sucesso da Broadway, Rock of Ages - O Filme apresenta canções de Journey, Def Leppard, Poison, Whitesnake, Bon Jovi, Foreigner, Joan Jett e REO Speedwagon. 

As origens do filme

Baseado no famoso e aclamado musical da Broadway.

Experiência com musicais

O diretor Adam Shankman já dirigiu alguns episódios do seriado Glee, em 2010 e 2011, mas um bom exemplo de sua experiência no gênero pode ser medida pelo sucesso de Hairspray - Em Busca da Fama (2007).

Três atores e um personagem

Os atores Will Ferrell e Steve Carrell chegaram a ter os nomes considerados para viver o personagem Dennis Dupree, mas ele acabou nas mãos do veterano Alec Baldwin.

Afinada na vida real, mas desafinou na disputa

Apesar de não chegar a fazer teste, a cantora e atriz Taylor Swift (Idas e Vindas do Amor) teve seu nome associado ao da personagem Sherrie, mas Julianne Hough (Burlesque) acabou conquistando o papel.

Filmes de heróis atrapalhando o do rock star

As atrizes Anne Hathaway e Amy Adams chegaram a ser convidadas para viver a jornalista Constance, mas os conflitos de ambas com os filmes Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge  e Superman: Man of Steel, respectivamente.

Duas candidatas que não emplacaram

Apesar do sucesso obtido em várias produções no cinema e na televisão, Gwyneth Paltrow e Olivia Wilde não conseguiram pegar o papel de Constance Sack.

Personagem nas mãos de cantora e atriz

Conhecida pelas comédias que participou, como Antes Só do que Mal Casado (2007) e Vestida para Casar  (2008), Malin Akerman, que também é cantora da banda de rock Pedalstones, assumiu o personagem Constance Sack em maio de 2011. 

VEJA TRAILER DE "ROCK OF AGE - O FILME": 

APOIO CULTURAL
ANTRO DO ROCK, RUA BARROSO 505 C/N
FONE 86-3222 8073
TERESINA-PI

Atenção realizadores/produtores audiovisuais e bandas independentes de todo o Brasil!

 
 
A Inusitada Produções informa que já estão abertas as inscrições para o 5º Festival de Videoclipes do Tocantins/ 2012, que será realizado no dia 17 de agosto, em Miracema do Tocantins, como programação paralela do 9º Agosto de Rock Festival.
Clique aqui e veja: Regulamento, Formulário de Inscrição e Autorização Para Uso de Imagem.
Sobre o 5º Festival de Videoclipes do Tocantins/ 2012
Com o crescimento do cenário musical independente do Tocantins, impulsionado por diversos festivais de rock existentes nas principais cidades do estado, surge, paralelamente, a necessidade de um novo canal de divulgação para esses artistas. A produção de videoclipes faz-se importante e viável, tanto no fomento da produção audiovisual local, como na propagação das bandas independentes, proporciohttp://www.blogger.com/blogger.g?blogID=432632950740223365#editor/target=post;postID=8594182619967418797nando a ambos o romper das fronteiras regionais, inserindo-as, através da mídia digital ou televisiva, num cenário muito mais amplo.
Em pouco mais de 4 anos de realização do primeiro e único festival de videoclipes do Tocantins, já podemos verificar a sua importância no crescimento desse segmento em nossa região. Gradualmente o festival miracemense vem despertando o interesse de bandas locais, como também das produtoras que cada vez mais buscam se especializar nesse criativo e significativo mercado audiovisual.
ASSESSORIA
Inusitada Produções - 11 anos de Cinema & Rock'n' Roll
(63) 8415-6696 / 8104-4303 / 9966-1171 / 3366-3481
@inusitada
Fonte: agostorock

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Motley Crue: o motivo pelo qual não fazem mais bis Fonte: Motley Crue: o motivo pelo qual não fazem mais bis

 
Depois de assistir ao show do MÖTLEY CRÜE que aconteceu no dia 10 de agosto em um show no Ashley Furniture Homestore Pavilion (antigo Cricket Pavilion) em Phoenix, Arizona, como parte da turnê da banda com o KISS, uma fã perguntou ao baixista Nikki Sixx por que seu grupo não faz mais bis. Nikki respondeu, "Nós fazíamos isso como a maioria das bandas ainda fazem, mas decidimos que isso é algo que não precisamos fazer com os fãs. Por que não adicionar algo mais ao show e terminá-lo como uma produção teatral ao invés irmos para trás dos amplificadores e fazer com que as pessoas batam palmas pedindo para que você volte? Nós preferimos dar 100% do início ao fim e terminar com um puta show".
Sixx já tinha tocado neste assunto durante um episódio em junho de 2011 em seu programa de rádio "Sixx Sense With Nikki Sixx". Ele explicou na época: "A razão por que não fazemos mais bis?... várias pessoas me perguntam isso. Nós olhamos para o Mötley Crüe, o nosso show, como uma grande produção. Quando você vai ver uma peça da Broadway, eles não estão alí para fazer um bis. Eu acho que quando você tem apenas 90 minutos do seu tempo, isso é tudo que você está autorizado a tocar. Os fãs não sabem disso, mas se você passar por cima, você está pagando algo como 10.000 dólares por minuto. É muito ridículo, não acha? Então você tem que subir no palco na hora - primeiramente para os fãs, e segundo, não faz sentido não aproveitar o tempo, caso contrário teríamos que fazer um show pequeno. Quando você faz um bis, tudo que você tem que fazer é ir para trás dos amplificadores, dar um tempo até derrubar todo seu ego e depois voltar e tocar uma música. Por que não tocar outra música que eles amem durante esse tempo e depois terminar o show com o grand finale? É por isso que hoje fazemos da nossa maneira".

Fonte: whiplash

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Sterling: Bach afirma que ele foi demitido por beber demais

Imagem 

O vocalista SEBASTIAN BACH foi entrevistado em uma rádio na cidade de Green Bay, estado de Wisconsin, e durante a conversa a DJ local Amber Lee abordou a saída do guitarrista NICK STERLING da banda de Bach. Uma postagem do blog da disc jockey segue abaixo, traduzida:
“Eu tive a oportunidade de conversar com Sebastian Bach. Nós falamos sobre a turnê de divulgação do álbum ‘Kicking and Screamin’, musicais, Ted Nugent, e algumas outras coisas, inclusive as encrencas com seu atual guitarrista. Nick Sterling postara em sua página do Facebook que tivera desavenças contratuais que haviam o forçado a se ausentar de alguns shows. Eu perguntei sobre isso a Bach, e ele disse que não é o caso. Escute para descobrir o que realmente aconteceu. Esse é um trecho da entrevista. Pule para a marca de 00h38min para evitar me ouvir explicando tudo que descrevi acima. Você pode ouvir a entrevista completa no endereço http://93rockon.com/profiles/amber-lee/ “
Abaixo, alguns trechos transcritos e traduzidos para o português.
“Ele [Nick] não voltará e ele não está se recusando a fazer nenhum show.”
“Dois dias antes do show de Los Angeles, ele me garantiu ao fone que assinaria o contrato e tocaria. Daí quando chegamos à passagem de som, ele não quis assinar a liberação da transmissão. Nós não poderíamos filmar o show sem ele – ele não queria deixar. Ele queria todos esses, tipos de exigências que ninguém mais na banda estava pedindo, e que eram completamente absurdas.”
“Se alguém não está feliz na minha banda, eu serei o primeiro a mostrar a porta da rua pra eles, e dizer – cuidado pra porta não bater na sua bunda quando você estiver saindo! Se você não estiver feliz e não for parte da equipe, e você não está interessado em ser bem-sucedido, ou ser profissional, então saia da minha banda!”
Bach então relata como qualquer novo membro de sua banda é informado antecipadamente sobre suas regras. E a regra número um é, “Não há consumo de álcool, de qualquer tipo, antes de qualquer show.” E que ele exige que os membros de sua banda estejam 100% sóbrios no palco.
“Ele [Nick] bebia durante a passagem de som, durante o dia, bebia aqui, e eu dizia, ‘Cara, isso não é permitido em minha banda. ’ E ele ficava puto comigo”, afirma Bach que com o tempo, a bebida virou um problema sério com Nick.
Bach também fala sobre Nick não poder entrar no Canadá, e diz: “Nick teve alguns problemas com a lei, que tinham a ver com bebida, no Arizona, onde ele mora.” Então legalmente, de acordo com Bach, Sterling não pode entrar no Canadá.
“Desejo tudo de bom para Nick. Espero que ele consiga resolver, como ser o tipo de homem, como ser humano para os outros, do mesmo jeito que ele é um músico incrível no palco. Ele é um guitarrista incrível. Mas se você não consegue pegar seu vôo, não pode honrar sua palavra, ou pensar na sua equipe, então eu não quero mais tocar com você.”


                                                                    Fonte:whiplash.net

Arquivo do blog